Long Jump anuncia recall preventivo do Bindeez no Brasil

Brinquedo será recolhido das lojas e trocado após suspeita de conter substância ligada à droga GHB

14 de novembro de 2007 | 12h42

A Long Jump, distribuidora dos brinquedos Bindeez no Brasil, anunciou nesta quarta-feira, 14, que irá retirar os produtos das lojas e efetuar a troca daqueles que já foram comercializados. Segundo a nota da empresa, desde maio deste ano, foram vendidos 63.696 unidades da linha Bindeez em todo o País. Os nomes das lojas que funcionarão como pontos de troca serão divulgados no dia 19. A partir do dia 21, os consumidores poderão efetuar a troca dos brinquedos Bindeez por qualquer outro produto de igual valor - ou terão o valor ressarcido. A Long Jump afirma ainda que "até o presente momento, não houve registro de qualquer problema relacionado ao lote do produto Bindeez comercializado no País". O brinquedo passa por nova análise do Inmetro. A empresa colocou à disposição dos consumidores um Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) - 0800 770 3993 - para esclarecer dúvidas.  Problemas Os brinquedos fabricados na China foram recolhidos nos Estados Unidos e na Austrália depois de ser constatado que eles continham uma substância ligada à droga GHB, usada em estupros facilitados por drogas em um golpe conhecido como "Boa Noite Cinderela".  Cinco crianças foram levadas a hospitais depois de engolir pequenas miçangas conhecidas como Bindeez, na Austrália e Aqua Dots, nos Estados Unidos.  As contas são recobertas com substâncias que se transformam na droga GHB (ácido gama-hidroxibutírico, um poderoso sedativo, que é ilegal) quando engolidas. No Brasil, os brinquedos Bindeez são distribuídos pela Long Jump.  As miçangas são um brinquedo extremamente popular nos dois países. Em 2007, Bindeez foi escolhido como "O Brinquedo do Ano" na Austrália.   As centenas de contas de cores vivas podem ser dispostas para tomar a forma que a criança desejar e ficam unidas quando borrifadas com água.   As miçangas deveriam ser revestidas com uma cola não-tóxica, mas descobriu-se que um lote na Austrália foi recoberto com uma substância que não seguia a fórmula aprovada.

Tudo o que sabemos sobre:
Bindeezrecall

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.