Lotes das Fazendas Reunidas Boi Gordo avaliados em R$ 85,1 milhões vão a leilão

Quatro lotes de uma das maiores propriedades rurais da massa falida das Fazendas Reunidas Boi Gordo vão a leilão no dia 7 de abril. Serão ofertadas as fazendas Realeza do Guaporé I, II, III e IV, que somam cerca de 30 mil hectares e têm valor estimado em R$ 85,1 milhões. Os lances ocorrem a partir das 14h, na Casa de Portugal, em São Paulo. Uma parte dos credores planeja assumir as unidades para explorá-las comercialmente, caso estas não sejam arrematadas, de acordo com o promotor de Justiça da falência, Eronides dos Santos, e o síndico da massa falida, Gustavo Sauer. A proposta é transformar o valor devido a cada credor em cotas de uma nova empresa, que será responsável por administrar as unidades rurais.

RENATO OSELAME, Estadão Conteúdo

02 de abril de 2015 | 17h20

"Com isso as propriedades sairiam da falência e passariam a ser exploradas economicamente pelos credores, sem a necessidade de novos leilões", afirma Santos. A medida, no entanto, não é aceita por todos os credores, visto que parte deles ainda prefere receber os créditos em dinheiro.

A adjudicação das fazendas é apoiada pelo ex-deputado estadual Afanasio Jazadji, presidente da Associação 15 de Outubro dos Credores da Boi Gordo, e por José Luiz Garcia, presidente da ALBG, entidade que reúne 6.500 credores.

Com a falência em 2001, a Boi Gordo lesou mais de 30 mil aplicadores, em débito que somou mais de R$ 3,5 bilhões. De 2011 a 2014 foram a leilão 11 propriedades da massa falida, que se localizam em municípios de Mato Grosso e em Itapetininga (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.