coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Lucro da Aracruz cai 6% sob efeito do câmbio

Resultado do terceiro trimestre foi de R$ 260,9 milhões

Agências, O Estadao de S.Paulo

10 de outubro de 2007 | 00h00

A maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto, Aracruz, anunciou ontem que obteve lucro líquido de R$ 260,9 milhões no terceiro trimestre, o que representa uma queda de cerca de 6% sobre o mesmo período do ano passado. Desde o início do ano, os lucros chegam a R$ 847,8 milhões.O resultado foi influenciado por uma valorização de cerca de 11,7% do real sobre o dólar no período, apesar do preço da celulose em dólares ter subido 3% e do ligeiro crescimento do volume de vendas, informou a Aracruz em comunicado.A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 394,4 milhões de julho a setembro, contra R$ 454,5 milhões em igual intervalo de 2006. A margem foi de 45%, ante 48% registrados um ano antes.A receita líquida somou R$ 873 milhões no trimestre passado, ante R$ 938,2 milhões obtidos um ano antes. Em volume, as vendas de celulose somaram 753 mil toneladas, alta de 1% sobre o terceiro trimestre de 2006. O valor inclui os 50% que a empresa possui na joint-venture Veracel, na Bahia.A Aracruz, que está aumentando os preços da celulose a partir deste mês, informou que o volume de vendas no trimestre foi limitado pela capacidade de oferta do produto. O volume foi afetado por paradas anuais para manutenção da ''''unidade Barra do Riacho e a antecipação da parada anual para manutenção da unidade Guaíba, antes programada para o quarto trimestre'''', informou a empresa.Se forem levados em conta os critérios de contabilidade americanos, os lucros caíram 26,43%, para US$ 105,345 milhões, em comparação a US$ 143, 208 milhões em igual período do ano passado. NÚMEROSR$ 873 milhõesfoi a receita líquida da Aracruz no terceiro trimestre do ano753 mil toneladasforam vendidas pela empresa no período, uma alta de 1% em relação ao 3º trimestre de 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.