Lucro da Bradesco Seguros e Previdência sobe 19% no 3º trimestre

Seguradora respondeu por 28,5% do lucro do banco no período, pouco abaixo dos períodos anteriores, de 30% 

Altamiro Silva Júnior, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 09h35

A Bradesco Seguros e Previdência registrou lucro líquido de R$ 721 milhões no terceiro trimestre, aumento de 3% ante o trimestre anterior e de 19% em 12 meses. A seguradora respondeu por 28,5% do lucro total do banco, pouco abaixo dos períodos anteriores, de 30%. No acumulado até setembro, o ganho foi de R$ 2,125 bilhões, 12,1% superior ao mesmo período do ano passado. Nesse período, a participação dos seguros no resultado se mantém em 30%.

A seguradora movimentou R$ 22,056 bilhões nos nove primeiros meses do ano, considerando os prêmios emitidos de seguros, as contribuições com vendas de planos de previdência e as receitas com os títulos de capitalização. O crescimento foi de 20,5% ante o mesmo período de 2009. No terceiro trimestre, foram R$ 7,8 bilhões em prêmios, expansão de 15% em 12 meses. O retorno patrimonial da seguradora no trimestre foi de 29%.

O Índice Combinando, principal indicador das seguradoras, que mede a eficiência operacional (quanto menor, melhor), ficou em 85,3%, três pontos abaixo do nível do terceiro trimestre de 2009, quando estava em 88,9%. A sinistralidade também melhorou, fechando setembro em 72,4%, cinco pontos menor que em setembro de 2009.

Todas as unidades da seguradora tiveram lucro e apresentaram crescimento dos prêmios. As receitas com previdência cresceram 11% e somaram R$ 4,1 bilhões no terceiro trimestre, puxadas pelas vendas dos planos VGBL. As provisões técnicas da Bradesco Vida e Previdência atingiram R$ 72 bilhões, aumento de 16% em relação a setembro de 2009. A seguradora ultrapassou a marca de 2 milhões de clientes no VGBL e de 19 milhões com seguros de vida e acidentes pessoais, por conta de programas de vendas desses produtos para a população de baixa renda.

A Bradesco Saúde teve faturamento de R$ 1,9 bilhão no terceiro trimestre, expansão de 22% na comparação com o mesmo período de 2009. No segmento, o banco destaca que houve queda das despesas administrativas e melhora da sinistralidade. A seguradora fechou setembro com 7,5 milhões de clientes, dos quais 92% vieram de contratos com empresas.

Já a Bradesco Auto/RE, seguradora de ramos elementares do banco, que inclui o mercado de automóveis, teve prêmios de R$ 941 milhões, expansão de 16% em 12 meses. Ao todo, são 3,2 milhões de segurados. 

Tudo o que sabemos sobre:
bradesco seguroslucrosaúdeauto/re

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.