Lucro da British Airways salta 26% no 2º trimestre fiscal

A British Airways fechou seu segundo trimestre fiscal com avanço de 26% no lucro líquido, graças à evolução da receita. A companhia aérea informou ganhos de 123 milhões de libras esterlinas (US$ 228,1 milhões) nos três meses que se encerraram em 30 de setembro, de 98 milhões de libras esterlinas registradas em igual período do ano passado. Apesar do crescimento do lucro, a empresa advertiu que o rendimento continuará pressionado, visto que os gastos com combustível devem subir ainda mais. A receita da British Airways avançou 2,2% no período, para 2,02 bilhões de libras esterlinas (US$ 3,74 bilhões). Na mesma base de comparação, o lucro antes de impostos da companhia dobrou, passando de 105 milhões de libras esterlinas para 220 milhões de libras esterlinas (US$ 408,1 milhões). O resultado ficou no topo das expectativas dos analistas. Gastos Durante o trimestre, os custos com combustível aumentaram em 12,4%, somando 271 milhões de libras esterlinas (US$ 502,7 milhões). Já os gastos com funcionários saltaram 7,7%, para 561 milhões de libras esterlinas (US$ 1,04 bilhão), em parte devido aos custos com pensão. Entretanto, gastos menores com venda de tíquetes se refletiram em uma queda de 0,1% nos gastos operacionais totais, que totalizaram 1,78 bilhão de libras esterlinas (US$ 3,30 bilhões). O crescimento das reservas on-line ajudaram a reduzir as despesas. Já os custos com o transporte de passageiros e de cargas por quilômetro encolheram 6,1%. Com a feroz competição na Europa e em outras rota-chaves, a rentabilidade da empresa britânica caiu 5.1% no trimestre. Segundo a BA, o declínio era esperado. O executivo-chefe da companhia, Rod Eddington, afirmou que as condições do mercado continuam desafiadoras. " Está claro que será um inverno muito difícil." A BA concorre com companhias de baixo custo como Ryanair e EasyJet. Com o resultado positivo, a BA manteve a meta de crescimento entre 2% e 3% na receita, durante o ano fiscal que se encerra em 31 de março. Segundo a companhia, os gastos com combustível devem saltar 27% no atual exercício fiscal, em relação ao ano anterior, para 245 milhões de libras esterlinas (US$ 454,4 milhões). Analistas do segmento afirmaram que a British Airways está se beneficiando com um programa de corte de custos. "Excluindo o item combustível, os custos estão bem dosados", disse um analista de Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.