Lucro da Nossa Caixa dobra e vai a R$ 646 milhões

Instituição vendida para o Banco do Brasil soma ativos de R$ 54,3 bi

Ana Paula Ribeiro, O Estadao de S.Paulo

27 de fevereiro de 2009 | 00h00

O Banco Nossa Caixa informou ontem que seu lucro mais que dobrou em 2008. A instituição teve um ganho líquido de R$ 646,5 milhões, ante resultado positivo de R$ 303,127 milhões em 2007, o que representa um salto de 113,29%. De acordo com o balanço do banco, o lucro foi impulsionado pelo crescimento de 47,6% na carteira de crédito, que fechou o ano com saldo de R$ 12,9 bilhões, ante os R$ 8,7 bilhões verificados no fim de 2007. Além disso, ativou créditos tributários da ordem de R$ 488,6 milhões, o que teve impacto positivo no resultado.Os ativos totais somaram R$ 54,3 bilhões em dezembro, valor 14,4% superior ao registrado no final de 2007. O que mais contribuiu para essa expansão foi o incremento de R$ 4,2 bilhões (47,6%) nas operações de crédito e o crescimento de R$ 3,3 bilhões das aplicações interfinanceiras de liquidez.O volume total captado em depósitos cresceu 14,9%, para R$ 37,2 bilhões, alta de 14,9%. O depósito judicial foi a modalidade que mais contribuiu para essa evolução, com incremento de R$ 2,4 bilhões no período.No fim de 2008, o banco tinha um patrimônio líquido de R$ 3,2 bilhões. O valor é 15% superior ao de 2007 e foi impulsionado pelo incremento de R$ 428,9 milhões em reservas de lucros. Em novembro de 2008, o Banco Nossa Caixa foi adquirido pelo Banco do Brasil.O valor patrimonial por ação atingiu R$ 29,72 em dezembro, ante os R$ 25,84 do fim de 2007. O retorno sobre o patrimônio líquido médio ficou em 20,9%, superando em 9,8 pontos porcentuais os 11% alcançados em 2007. Diferentemente de outras instituições, o Banco Nossa Caixa decidiu não fazer uma grande elevação da provisão para créditos de devedores duvidosos, que passaram de R$ 761,86 milhões no terceiro trimestre para R$ 806,42 milhões no quarto trimestre. O índice de inadimplência, que considera as operações em atraso superior a 59 dias, atingiu 4,6%, redução de 2 pontos porcentuais. O presidente do Banco Nossa Caixa, Milton Luiz Santos, projeta crescimento de 30% na carteira de crédito para este ano. A maior expansão, entre 30% e 35%, deverá ocorrer nas operações destinadas a empresas. Para pessoa física, a projeção é de crescimento entre 20% e 25%. Essas expectativas não incluem compras de carteiras de crédito, que deverão chegar a R$ 3 bilhões.NÚMERO30%é o crescimento previsto pelo Banco Nossa Caixa para a carteira de crédito este ano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.