Lucro da Petrobras não anima mercado e ações caem 2%

O lucro recorde de R$ 9,37 bilhões no primeiro semestre deste ano anunciado quinta-feira pela Petrobras não animou os analistas de mercado. As ações da estatal caíram de 2% na bolsa paulista hoje por causa dos resultados do segundo trimestre, que foram abaixo das expectativas dos especialistas. O lucro líquido acumulado de abril a junho, de R$ 3,284 bilhões, foi quase a metade do esperado pelos especialistas. A principal diferença entre as projeções e o resultado está nos custos, considerados muito altos.A empresa sentiu no segundo trimestre o impacto da redução nos preços da gasolina e no diesel a partir de primeiro de maio. O economista da Sudameris Corretora, José Cataldo, disse que o recuo na margem bruta foi responsável por pelo menos 50% da diferença entre suas estimativas e o resultado real. Ele afirmou que a margem recuou de 51% para 44% de março a junho. As estimativas dos analistas não contavam também com a provisão não esperada de R$ 330 milhões no semestre passado, referente a oito turbinas a gás que a empresa tem em estoque.Apesar da frustração, os analistas apontaram vários pontos positivos no balanço, como a geração de caixa (R$ 17,448 bilhões, alta de 116,9% sobre igual período de 2002). Outro fator positivo é o lucro do semestre. O economista do BNP Paribas, Fábio Garcez, disse que ?a companhia teve em um semestre o lucro todo do ano passado". Para ele, o mercado fez as projeções com base em um primeiro trimestre que já havia superado todas as expectativas, quando a estatal teve lucro de R$ 5,529 bilhões. Garcez observou que o ótimo resultado do primeiro trimestre foi obtido num período melhor que o verificado entre abril e junho, quando o cenário econômico se deteriorou e a demanda brasileira caiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.