Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lucro da TAM recua 49,8% em 2010, para R$ 637 milhões

No 4º trimestre, a companhia teve um ganho de R$ 150,6 milhões, alta de 7,9% ante mesmo período de 2009 

Silvana Mautone, da Agência Estado,

28 de fevereiro de 2011 | 09h04

O lucro líquido da TAM no quarto trimestre de 2010 alcançou R$ 150,6 milhões, o que representa alta de 7,9% sobre os R$ 139,6 milhões do mesmo período de 2009 seguindo o padrão de contabilidade IFRS. No acumulado de 2010, o lucro líquido somou R$ 637,4 milhões, queda de 48,9% sobre R$ 1,246 bilhão em 2009. Já no critério ajustado, o resultado do exercício de 2010 fica em R$ 197,9 milhões, o que representa um recuo de 84,1%.

A receita líquida da empresa ficou em R$ 3,224 bilhões, 29,1% acima dos R$ 2,497 bilhões na comparação entre quartos trimestres. No ano, a receita cresceu 16,5% para R$ 11,378 bilhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) no quarto trimestre de 2010 foi de R$ 394,4 milhões, 50,6% acima dos R$ 261,9 milhões obtidos no quarto trimestre de 2009, com margem de 12,2%, ante 10,5%. Já o Ebitda do ano passou para R$ 1,676 bilhão, 106,4% acima dos R$ 812,3 milhões de 2009, com margem de 14,7%, bem maior que a de 8,3% do ano anterior. No critério ajustado, o Ebitda em 2010 foi de R$ R$ 1,272 bilhão, 56,6% maior.

Receira com voos domésticos

A TAM registrou aumento de 10,3% na receita doméstica com passageiros no quarto trimestre do ano passado com relação ao trimestre anterior, atingindo R$ 1,508 bilhão, devido ao crescimento da demanda de 17,1% em RPK (relação de passageiro pagante por quilômetro transportado) combinado com a redução de 5,8% no yield (receita média por passageiro transportado um quilômetro). No ano, a receita somou R$ 5,87 bilhões, um crescimento de 7,4% sobre 2009.

A oferta por ASK (assento disponível por quilômetro voado) cresceu 16,2%, elevando a taxa de ocupação em 0,5 ponto porcentual para 69,3% no último trimestre do ano passado. Com isso, o RASK caiu 4,4%. Segundo a TAM, isso ocorreu, entre outros motivos, por uma maior quantidade de passageiros voando com o resgate de pontos fidelidade e também por um número maior de passageiros que, nos últimos três meses do ano, voam a lazer, comprando seus bilhetes com antecedência e fora do horário de pico, pagando tarifas mais baixas.

Com relação aos voos internacionais, houve um aumento de 30,2% na receita, que somou R$ 833,2 milhões, devido ao aumento do yield em dólar em 14,5%, enquanto o yield em reais subiu 11,8%. O aumento da demanda foi de 16,5% que combinado com o aumento da oferta de 10,2% elevou a taxa de ocupação em 4,3 ponto porcentual para 79,9% no trimestre e 79,0% no ano de 2010 (ambas recorde histórico). Como consequência, o RASK, em dólar, subiu 21,1%, enquanto em reais aumentou 18,2%. No acumulado do ano, a receita cresceu 22,4%, somando R$ 3,284 bilhões.

Já a receita com o transporte de carga no último trimestre do ano cresceu 7,6%, atingindo R$ 295,8 milhões, resultado de um aumento de 11,5% na receita doméstica e alta de 4,35% na receita internacional. No ano,a receita com carga somou R$ 1,112 bilhão, uma alta de 18,8%.

Encomendas: 34 aviões por R$ 3,2 bilhões

A TAM anunciou nesta segunda-feira que encomendou 34 novos aviões para renovação de frota e adequação à demanda dos próximos 20 anos. O valor das aquisições, a preços de tabela das aeronaves, é de US$ 3,2 bilhões. Com isso, a TAM eleva sua previsão de frota em 2014 de 168 para 174 aviões.

A companhia encomendou 32 aviões da família A320 da Airbus e 2 Boeings B777-300 ER. Os jatos da fabricante europeia serão entregues entre 2016 e 2018, enquanto os aviões encomendados à companhia norte-americana serão entregues em 2014.

"Já começamos a nos preparar para os anos seguintes a 2015 porque a procura por voos, tanto domésticos quanto internacionais, deverá continuar crescendo significativamente", afirma a TAM em comunicado à imprensa. "Análises indicam que a demanda continuará aquecida nos próximos 20 anos, com um crescimento médio de 9% ao ano, sendo impulsionada por clientes viajando tanto a negócios quanto a lazer", acrescenta a empresa.

Os aviões da família A320 envolvem 22 unidades do novo modelo A320neo, que incorporaram inovações que "proporcionam economia significativa de combustível de até 15%

"A estrutura do novo avião terá mais de 95% em comum com os atuais produtos da linha, porém oferece até 950 quilômetros a mais de alcance ou duas toneladas mais de carga útil", informou a TAM.

Com as duas aeronaves solicitadas à Boeing, a frota de aparelhos da TAM encomendada à companhia norte-americana chegará a oito, incluindo quatro aeronaves que serão entregues em 2012 e duas em 2013. Quando todos os aviões forem entregues, a TAM terá 12 Boeings em sua frota.

(Com Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
tamlucro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.