Lucro da Unilever sobe 68%

A Unilever, fabricante anglo-holandesa, dona dos sabonetes Dove, o chá Lipton e a maionese Hellman´s, registrou um aumento de 68% em seu lucro líquido para 803 milhões de euros (US$ 789,6 milhões), no terceiro trimestre de 2002, em relação aos 478 milhões de euros em igual período do ano passado. As vendas no trimestre caíram para 12,98 bilhões de euros (US$ 12,76 bilhões), de 13,08 bilhões de euros em 2001. O resultado antes de itens extraordinários e amortização de ágio, o número mais observado pelos analistas, aumentou 17% para 1,20 bilhão de euros (US$ 1,18 bilhão) e o lucro operacional cresceu 2% para 2,1 bilhões de euros (US$ 2,06 bilhões). As vendas no período das 400 principais marcas da Unilever subiram 5,4%, acima da previsão anterior da companhia de 5% e ante os 4,4% no segundo trimestre. O número foi estimulado por maior gasto com publicidade e inovação de novos produtos. Na América Latina, as vendas cresceram 14%, com forte contribuição a partir dos preços. No Brasil, as vendas foram impulsionadas pelos desodorantes Rexona e Axe, novas variações do shampoo Seda, o lançamento do shampoo Dove e do contínuo sucesso do "Refoga Caseira". A Unilever fez bons progressos em recuperar a desvalorização inicial que resultou em aumentos de custos no Brasil, mas tem verificado o efeito esperado da desvalorização na Argentina e maior depreciação do real exercerem impacto sobre as margens neste trimestre. A Unilever prevê um aumento geral de 5% das vendas em 2002. As 400 marcas principais geram 85% das vendas, e a empresa quer derivar 95% das vendas a partir dessas marcas até 2004, como resultado de sua reestruturação chamada "Path to Growth".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.