Lucro da Usiminas dispara 179% no 1º trimestre

A Usiminas registrou lucro líquido de R$ 1,001 bilhão no primeiro trimestre de 2005. Trata-se de um crescimento de 179% em relação ao lucro líquido apurado no mesmo período do ano passado.A receita líquida (montante que a empresa efetivamente recebe pelas vendas de seus produtos, ou seja, o faturamento (receita bruta) diminuído dos impostos diretos, como ICMS, IPI, ISS, PIS e Cofins) nos três primeiros meses do ano apresentou crescimento de 46%, chegando a R$ 3,459 bilhões.O lucro bruto (diferença entre a receita líquida e o custo dos produtos vendidos) chegou ao montante de R$ 1,731 bilhão no primeiro trimestre deste ano, o que significa um crescimento de 86% em relação ao mesmo período de 2004.A empresa informou ainda que o Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações e participações) no mesmo período é recorde, atingindo R$ 1,724 bilhão, com crescimento de 87% nos três primeiros meses de 2005. A empresa conseguiu, portanto, uma margem recorde de 50% em suas operações.As despesas financeiras líquidas (pagamento de juros) caíram 37% no trimestre, chegando a R$ 160,288 milhões. Já a participação em controladas disparou 973%, para R$ 149,238 milhões.O lucro operacional (resultado apenas da atividade primária da empresa) foi de R$ 1,552 bilhão no primeiro trimestre, o que representa um crescimento de 189%.Em 31 de março de 2005, o patrimônio líquido (conjunto de bens de uma empresa, suscetíveis de gerar lucro ou renda. É formado geralmente pela diferença entre o ativo e o passivo) da companhia era de R$ 6,951 bilhões.Mercado interno favoreceu resultadoDe acordo com nota da empresa disponível em seu site, assinada pelo diretor presidente, Rinaldo Campos Soares, ?os resultados do 1º trimestre de 2005 foram favorecidos pelas boas condições do mercado interno de laminados planos?. Além disso, diz o texto, ?a boa performance operacional das empresas do Sistema proporcionou um desempenho econômico-financeiro superior, mantendo a tendência dos trimestres anteriores?.A nota destaca ainda que os resultados positivos foram alcançados em um cenário de alta dos juros básicos da economia. ?Apesar do aumento da taxa básica de juros e de seus reflexos sobre a atividade industrial, o mercado brasileiro de laminados planos foi sustentado pelo bom desempenho de importantes segmentos da economia, como o automotivo e de autopeças, o de eletrodomésticos e aqueles com programas de exportação de longo prazo?, diz a nota.Para o futuro, a empresa acredita que a reestruturação da Cosipa, que culminou com o fechamento do seu capital, foi um importante passo para tornar mais eficiente a estrutura organizacional, o que deverá contribuir para elevar os próximos resultados. ?Iniciamos agora um novo ciclo de investimentos em agregação de valor, redução de custos e modernização de equipamentos, confiantes em nossa competitividade e elevada rentabilidade?, afirma Soares, em nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.