Lucro da Vale cai 48% no 2º trimestre

Mineradora teve resultado positivo de R$ 5,3 bilhões de abril a junho; ganhos foram afetados por queda de 29% no preço do minério de ferro

MÔNICA CIARELLI , SERGIO TORRES / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h07

A mineradora Vale registrou queda de 48,3% em seu lucro líquido no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2011. A companhia divulgou ontem que o lucro obtido de abril a junho foi de RS$ 5,314 bilhões, contra R$ 10,275 bilhões no segundo trimestre do ano passado. O resultado é creditado ao menor preço do minério de ferro cobrado internacionalmente e à desvalorização do real.

A Vale trabalhou com um preço médio de US$ 103,29 por tonelada de minério. O valor é 28,9% menor do que o praticado no mesmo período do ano passado e 5,5% inferior ao registrado nos primeiros três meses de 2012. Já o preço da pelota foi de US$ 159 por tonelada, 22,84% inferior ao apurado no igual período de 2011 e 2% menor do que no trimestre anterior.

Em nota divulgada junto com o balanço, a Vale citou dificuldades macroeconômicas. "Passados dois anos do início das turbulências financeiras na zona do euro, o cenário permanece incerto. A crise bancária e de dívida soberana não produziu uma recessão global, mas não há perspectivas de uma recuperação forte no curto prazo", frisou a empresa.

A Vale afirmou ainda que seu lucro foi reduzido em US$ 1,693 bilhão por causa da variação monetária e cambial registrada durante o segundo trimestre, que depreciou o valor do real em relação ao dólar americano.

Vendas e produção. Apesar dos preços mais baixos, as vendas subiram no período. A comercialização de minério de ferro e pelotas pela Vale ficou em 75,255 milhões de toneladas no segundo trimestre do ano, volume 3,23% superior aos embarques feitos no mesmo período de 2011. O balanço da empresa revela que as vendas de minério somaram 62,978 milhões de toneladas e as de pelotas 12,227 milhões de toneladas entre abril e junho.

A companhia informou ter recuperado no segundo trimestre os níveis normais de produção, o que não ocorrera nos três primeiros meses de 2012, quando as chuvas em áreas em regiões como Carajás (PA) atrapalharam a performance.

De acordo com a companhia, a produção de minério de ferro no segundo trimestre deste ano chegou a 80,542 milhões de toneladas, um recorde para o intervalo e que representa uma expansão de 15,1% na comparação com o trimestre anterior.

Ainda conforme o relatório de resultados, a dívida líquida da Vale cresceu 90,8% entre abril e junho, em relação ao mesmo intervalo de 2011, chegando a US$ 21,436 bilhões. Na comparação com o primeiro trimestre, houve expansão de 7,1%.

Já a dívida bruta da empresa ficou em US$ 25,518 bilhões, 4,3% a mais em relação ao mesmo período de 2011 e 2,3% a mais na comparação com o primeiro trimestre deste ano.

Carvão. No segundo trimestre, a Vale registrou a maior receita já obtida para este período com a venda de carvão. O faturamento de US$ 276 milhões supera em 7,81% o registrado de abril a junho de 2011. Os embarques de carvão ficaram em 2,259 milhões de toneladas.

A companhia disse que as operações de carvão de Carborough Downs, na Austrália, estão suspensas desde 31 de maio. Segundo a Vale, as perdas foram parcialmente compensadas pelo pelo projeto de carvão de Moatize, em Moçambique. / COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.