Lucro do ABN Amro sobe 0,7%

O ABN Amro Holding NV anunciou um lucro líquido de 690 milhões de euros (US$ 761,8 milhões) no primeiro trimestre de 2003, uma alta de 0,7% em relação ao lucro de 397 milhões de euros em igual período do ano passado. O lucro operacional subiu 6,2% para 1,43 bilhão de euros (US$ 1,54 bilhão), ante o 1,34 bilhão de euros em 2002. O banco holandês afirmou que o desempenho do grupo no primeiro trimestre de 2003 foi influenciado por vários fatores macroeconômicos e geopolíticos adversos. A receita total do grupo declinou 4,8% para 4,52 bilhões de euros (US$ 4,98 bilhões), em comparação com os 4,74 bilhões de euros em 2002.Rijkman Groenink, chairman do ABN, disse que "não obstante a persistente difícil condição do mercado, o banco conseguiu realizar um bom desempenho geral no primeiro trimestre" e acredita que "a recente aquisição do Banco Sudameris no Brasil fortalecerá ainda mais as operações de varejo no País". O executivo acrescentou que "a direção geral e o impacto de desenvolvimentos geopolíticos sobre a economia global não são claros, sendo difícil sermos otimistas com relação ao estado geral da economia global. Portanto, continuamos nos abstendo de fornecer uma estimativa para 2003 neste momento", disse ele. O nível de provisões no trimestre registrou uma queda de 12,1% em relação a igual período de 2002, apesar de um aumento na Holanda, Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.