bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Lucro do Banco do Brasil cresce 96,46% e bate recorde

O Banco do Brasil (BB) atingiu um lucro recorde no primeiro semestre do ano, ao acumular R$ 3,888 bilhões, com crescimento de 96,46% sobre o mesmo período do ano passado. Em 2005, o resultado de R$ 1,979 bilhão dos seis primeiros meses. O retorno ficou em 47,8%, contra 28,6% no intervalo de janeiro a junho do ano passado.Conforme dados divulgados nesta segunda-feira, o desempenho reflete receita extraordinária de R$ 1,5 bilhão decorrente da ativação de créditos tributários no primeiro trimestre e receita de R$ 880 milhões decorrente do acordo realizado entre BB e entidades sindicais sobre a utilização do Fundo Paridade Previ.O gerente de Relações com Investidores do Banco do Brasil (BB), Marco Giovanne, disse que o lucro líquido recorrente da instituição, que exclui os resultados extraordinários, totalizou R$ 1,1 bilhão no segundo trimestre deste ano - considerando as provisões. Ele explicou que nesse cálculo foi descontado do lucro consolidado de R$ 1,546 bilhão do período R$ 880 milhões do acordo de paridade com a Previ e cerca de R$ 500 milhões relativos a provisões atípicas, em decorrência da crise no setor rural. Sem essas provisões, o lucro recorrente do BB seria de R$ 647 milhões no intervalo de abril a junho de 2006.Giovanne informou ainda que, no primeiro semestre, o lucro recorrente do BB atingiu R$ 2,9 bilhões. "Tirando as externalidades, o resultado do banco foi muito positivo. O crescimento foi impulsionado pelo aumento das operações de crédito e da base de clientes.", afirmou em entrevista coletiva. Despesas e receitasEm contrapartida, o BB registrou no semestre despesa de R$ 1,4 bilhão em reforço de provisão na carteira rural. Esse reforço atípico foi necessário para corresponder ao aumento no risco de crédito dessas operações, decorrente especialmente da valorização cambial e da estiagem no Sul e no Centro-oeste, principalmente nas culturas de soja, algodão, milho, arroz e trigo.O resultado semestral recorde também reflete, segundo o BB, o crescimento das receitas com operações de crédito e com títulos. As receitas com crédito atingiram R$ 10,4 bilhões, com aumento de 12,8% sobre o primeiro semestre de 2005. A forte expansão dos empréstimos para pessoas físicas explica grande parte desse crescimento, segundo a instituição.O resultado com títulos totalizou R$ 6,8 bilhões no semestre, subindo 13,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, fruto da maior atuação em operações compromissadas. Estas operações apresentaram saldo de R$ 29,8 bilhões em junho deste ano, contra R$ 17,4 bilhões em junho de 2005, com expansão de 71,2%.Segundo trimestre Já no segundo trimestre, o lucro foi de R$ 1,546 bilhão, o que significa expansão de 52,47% em relação ao resultado de R$ 1,014 bilhão do mesmo período de 2005. A rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido foi de 36,3%, acima dos 29,6% registrados em igual intervalo do ano passado.O banco obteve receita com tarifas de R$ 2,246 bilhões no segundo trimestre, com aumento de 16,43%. As despesas administrativas subiram 11,76% em relação ao segundo trimestre de 2005 e somaram R$ 3,451 bilhões.O BB fechou junho com patrimônio líquido de R$ 19,178 bilhões, 24,59% superior ao do mesmo período de 2005. Os ativos totais cresceram 17,13% na mesma comparação e atingiram R$ 273,836 bilhões. Este texto foi atualizado às 14h13.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.