Lucro do Banco do Brasil no trimestre da crise é recorde

O lucro líquido contábil do Banco do Brasil no quarto trimestre de 2008, de R$ 2,944 bilhões, é o maior da história para um período de três meses, superando o recorde anterior de R$ 2,347 bilhões registrado no primeiro trimestre do ano passado. O resultado foi possível graças às mudanças no cálculo de ativos e passivos dos fundos de pensão, que geraram um resultado não recorrente de R$ 1,318 bilhão. No último dia 23, o BB anunciou que a contabilização de parte dos ganhos atuariais não reconhecidos no plano de aposentadoria somava R$ 5,326 bilhões. A contabilização das perdas chegou a R$ 1,259 bilhão e a dos efeitos fiscais ficou negativa em R$ 1,546 bilhão. Com o reforço no resultado ocasionado por essas mudanças a instituição decidiu fazer ainda uma provisão adicional de R$ 1,7 bilhão para perdas da carteira de crédito.Esse adicional foi adotado como medida preventiva. A carteira de crédito do BB cresceu no último trimestre do ano passado 11% em relação ao estoque de empréstimos contabilizados ao final do terceiro trimestre, chegando a R$ 237,2 bilhões. Essa variação foi superior à média do sistema financeiro, que foi de 6,5%.O desempenho da carteira de crédito acima do sistema é explicado pela atuação do BB nos últimos meses do ano, em que entrou com força no mercado de compra de carteiras de crédito de outras instituições financeiras e também atuou para compensar, em parte a redução da oferta de crédito às empresas brasileiras. O saldo das operações de crédito para pessoas jurídicas no BB cresceu do terceiro para o quarto trimestre 13,9%, ante 7,1% do sistema financeiro. Ao todo, os empréstimos para as empresas totalizavam R$ 97,192 bilhões em dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.