Reuters
Reuters

Lucro do Banco do Brasil sobe 33,5% e chega a R$ 4,543 bi no terceiro trimestre

Carteira de crédito para pessoa física teve aumento de 9,1% no período; resultado positivo fez banco rever projeções para o ano

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2019 | 09h39

O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,543 bilhões no terceiro trimestre, cifra 33,5% maior que a registrada um ano antes, de R$ 3,402 bilhões. Em relação aos três meses anteriores, a alta foi de 2,5%.

O resultado do BB foi impulsionado, segundo o relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, por maiores margens financeiras e redução no Imposto de Renda e contribuição social. Maiores receitas com tarifas e despesas sob controle também beneficiaram o desempenho do banco no período.

No acumulado de 2019, o lucro líquido ajustado do BB foi de R$ 13,222 bilhões, com aumento de 36,8% ante mesmo período do ano passado. Com tal desempenho, o banco optou por revisar para cima sua projeção: agora prevê que seu resultado varie de R$ 16,5 bilhões a R$ 18,5 bilhões; a estimativa anterior ia de R$ 14,5 bilhões a R$ 17,5 bilhões.

A carteira de crédito ampliada do BB atingiu R$ 686,7 bilhões de julho a setembro, estável em relação aos três meses anteriores. Em um ano, os empréstimos da instituição apresentaram leve queda de 0,7%.

O destaque na carteira do banco foi o segmento de pessoas físicas, com aumento de 2,4% no terceiro trimestre ante o segundo e de 9,1% em um ano. O crédito para empresas, porém, amargou quedas de 1,4% e 7,4%, respectivamente.

O patrimônio líquido do banco foi a R$ 105,897 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 2,0% na comparação anual e de 3,9% em relação ao segundo trimestre.

Ao fim de setembro, o BB somava R$ 1,497 trilhão em ativos totais, elevação de 1,8% na comparação com o montante visto um ano antes. Na comparação com junho, porém, representou queda de 2,9%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.