Lucro do banco JPMorgan cai 50% no 1º tri para US$ 2,37 bi

Terceiro maior banco dos EUA acrescenta US$ 2,5 bilhões à sua provisão para créditos irrecuperáveis

Agência Estado e Reuters,

16 de abril de 2008 | 08h56

O terceiro maior banco dos Estados Unidos, o JPMorgan Chase, anunciou nesta quarta-feira, 16, que no primeiro trimestre do ano seu lucro líquido caiu 49,4%, para US$ 2,37 bilhões (US$ 0,68 por ação), de US$ 4,79 bilhões (US$ 1,34 por ação) no mesmo período do ano passado. O lucro da instituição financeira foi atingido por baixas contábeis em empréstimos alavancados e hipotecas e por um aumento nas reservas de crédito.   Veja também:   Quarto maior banco dos EUA anuncia prejuízo de US$ 393 mi Economia global vive situação entre 'gelo e fogo', diz FMI  Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   Bolsas na Ásia caem com resultado da GE e medo de recessão    A receita líquida teve redução de 11%, para US$ 16,89 bilhões, de US$ 18,97 bilhões nos primeiros três meses de 2007. A receita total baixou de US$ 19,7 bilhões para US$ 17,9 bilhões. A média das projeções de analistas consultados pela FactSet era de lucro de US$ 0,61 por ação, sobre receita de US$ 17,4 bilhões.O banco acrescentou US$ 2,5 bilhões à sua provisão para créditos irrecuperáveis. Segundo a instituição, a unidade de banco de investimentos registrou reduções de valor de mercado num total de US$ 2,6 bilhões, incluindo as dos empréstimos alavancados e das hipotecas de primeira e segunda linhas (prime e subprime).O presidente e executivo-chefe do JPMorgan, Jamie Dimon, informou que o banco prevê a continuação da fragilidade no ambiente econômico e do nervosismo nos mercados de capitais. "Estes fatores têm afetado e deverão continuar a ter impacto negativo sobre os créditos irrecuperáveis, o volume global de operações e os lucros - possivelmente pelo restante do ano ou mais", afirmou.   "Entretanto, estamos preparados para administrar nesta parte inferior do ciclo econômico, dada a força de nossa liquidez, reservas de crédito, capital e margens operacionais", disse.   Às 8h20 (de Brasília), no pré-mercado da Bolsa de Nova York, as ações do JPMorgan operavam estáveis, a US$ 42,12. As informações são da Dow Jones.     Compra do Bear Stearns     Em março deste ano, o quinto maior banco dos Estados Unidos, o Bear Stearns, entrou em colapso devido à crise de hipotecas de alto risco e foi comprado pelo JP Morgan por apenas US$ 236,2 milhões. O valor representou US$ 2 por ação, ante US$ 70 um ano antes.    O baixo valor da compra continua tumultuando os negócios em todo o mundo, com o temor de que outros bancos sejam vítimas da crise, que começou no setor de crédito imobiliário de alto risco (subprime) nos EUA.   Segundo o Credit Suisse, a crise bancária do país deve resultar em perdas relacionadas a crédito de cerca de US$ 650 bilhões, dos quais apenas 40% foram revelados até agora. A instituição também afirmou que os bancos podem precisar levantar até US$ 140 bilhões em capital.

Tudo o que sabemos sobre:
JPMorgan Chase

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.