Lucro do BB sobe 25,3% para R$ 833 mi no trimestre

O Banco do Brasil informou hoje que obteve lucro de R$ 833 milhões no terceiro trimestre deste ano. O resultado é 25,3% superior ao registrado em igual período de 2003. Nos nove primeiros meses do ano, o BB obteve lucro líquido de R$ 2,3 bilhões, com alta de 29,2% frente a igual período de 2003. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido médio, anualizada, ficou em 23,8% até setembro. O resultado bruto da intermediação financeira totalizou R$ 7,168 bilhões, com crescimento de 3,3%. A provisão para créditos de liquidação duvidosa subiu 49,3%, para R$ 3,631 bilhões. As receitas de prestação de serviços somaram R$ 4,912 bilhões, o que significa uma expansão de 23,6% sobre igual período do ano passado. As despesas de pessoal atingiram R$ 5,271 bilhões, com alta de 12,8%. Ao final de setembro, o patrimônio líquido da instituição era de R$ 13,8 bilhões - 17,8% superior ao de igual período de 2003.Carteira de créditoA carteira de crédito do Banco atingiu R$ 84,1 bilhões em setembro passado, o que representa um crescimento de 15,9% em relação ao mesmo período de 2003. Este portfólio mantém o BB na liderança da concessão de crédito no País, com participação de mercado de 18,3%. Ao final do terceiro trimestre, os créditos classificados como "AA", "A", "B", "C" representavam 91,8% do total da carteira - nível superior ao do sistema financeiro nacional, que era de 89,4%. Os empréstimos para pessoa física somavam R$ 14,2 bilhões em setembro, com aumento de 24,2%. O saldo das operações de crédito direto ao consumidor (CDC), que é o principal produto destinado para o segmento, fechou o trimestre em R$ 9,6 bilhões. O crédito para micro e pequenas empresas encerrou setembro com volume de R$ 16,1 bilhões (+33%). No atacado, a carteira de crédito alcançou saldo de R$ 26,5 bilhões, sendo R$ 5,5 bilhões em operações na área externa e R$ 21 bilhões no mercado interno. O BB contabilizou ainda uma carteira de R$ 25,7 bilhões em empréstimos para agronegócios, com crescimento de 3,6% sobre setembro do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.