Lucro do Bradesco atinge R$ 2,1 bi e é o maior entre privados

Banco registra lucro líquido 23% maior no 1º trimestre, o maior entre as instituições privadas nos últimos 20 anos

Reuters e Agência Estado,

28 de abril de 2008 | 07h02

O Bradesco, maior banco privado do País, abriu a temporada de resultados das instituições financeiras brasileiras nesta segunda-feira, 28, com lucro líquido de R$ 2,102 bilhões no primeiro trimestre, o maior já registrado por um banco privado no primeiro trimestre nos últimos 20 anos, segundo estudo da Economática. O recorde anterior de uma instituição privada era do Itaú, que no primeiro trimestre de 2007 apurou lucro líquido de R$ 1,991 bilhão.   O resultado do Bradesco  é 23,3% maior que o obtido no mesmo período do ano passado, de R$ 1,705 bilhão, que já havia sido inédito para o período, e equivale a um lucro por ação de R$ 0,68 e a um retorno de 32% sobre o patrimônio líquido médio, importante indicador da rentabilidade de um banco. O lucro foi impulsionado por um aumento na carteira de crédito de 38,5 % na comparação com o primeiro trimestre de 2007, para R$ 169,408 bilhões. Do total da carteira, as operações com pessoas físicas totalizaram R$ 62,226 bilhões, crescimento de 34,3%. Enquanto isso, os empréstimos a pessoas jurídicas atingiram o montante de R$ 107,182 bilhões, expansão de 41%. Os ativos totais ao final do mês passado somaram R$ 355,517 bilhões, crescendo 26,1% em relação ao mesmo período de 2007, informou o banco em comunicado ao mercado. No trimestre, a unidade de investimentos do Bradesco fechou acordo para compra da maior corretora de ações do País, a Ágora, em operação de R$ 830 milhões. A instituição ainda comprou controle da administradora de planos de saúde Mediservice por R$ 84,9 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Bradesco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.