Lucro do Bradesco quase dobra no 1º trimestre do ano

O Bradesco registrou lucro líquido de R$ 1,205 bilhão no primeiro trimestre do ano, com crescimento de 97,96% em relação ao resultado do mesmo período de 2004 (R$ 608,713 milhões). A receita da intermediação financeira ficou em R$ 8,109 bilhões, o que representa uma expansão de 20,03% na mesma comparação. O resultado de operações com títulos e valores mobiliários caiu 1,49%, para R$ 1,655 bilhão no trimestre. As operações de crédito avançaram 19,68%, para R$ 3,709 bilhões. As despesas da intermediação financeira somaram R$ 4,744 bilhões, com aumento de 18,99% em relação ao primeiro trimestre de 2004. O resultado bruto da intermediação foi de R$ 3,364 bilhões, subindo 21,49%. As receitas de prestação de serviços cresceram 26,02% e atingiram R$ 1,661 bilhão. O resultado operacional do banco até março foi de R$ 1,583 bilhão, o que significa um aumento de 98,16% em relação aos três primeiros meses do ano passado. Em 31 de março, o patrimônio líquido do Bradesco era de R$ 16,538 bilhões. Carteira de crédito O saldo consolidado das operações de crédito do Bradesco atingiu R$ 66,0 bilhões ao final de março, o que representa expansão de 5,1% em relação ao quarto trimestre e de 20,2% nos últimos 12 meses, em linha com o comportamento do sistema financeiro. A exemplo de 2004, o maior destaque em termos de evolução da carteira foram as operações para pessoas físicas, destinadas ao financiamento do consumo e de crédito rotativo. No caso das pessoas jurídicas, devido à maior sensibilidade ao comportamento da taxa básica de juros (Selic), não se observou, por enquanto, incremento maior nos créditos para aumento da capacidade produtiva e infra-estrutura, permanecendo a demanda concentrada em linhas para suprir as necessidades mais imediatas, voltadas ao giro dos negócios. Segundo o banco, melhorou a classificação de risco da carteira, cuja participação dos créditos de "AA a C" atingiu 92,5% do total do total, contra 92,3% no quarto trimestre de 2004. O Bradesco constituiu preventivamente R$ 166 milhões em provisão para devedores duvidosos (PDD) sobre as operações de uma grande empresa concessionária de serviços públicos, que está em processo de reestruturação da dívida. Assim, a PDD constituída no trimestre foi de R$ 635 milhões, elevando o saldo de provisões do banco para R$ 4,301 bilhões. O Bradesco também constituiu provisão extraordinária na carteira "Saúde Individual", no montante de R$ 324 milhões, para equacionar o nivelamento dos prêmios para os segurados acima de 60 anos e dos segurados remidos.

Agencia Estado,

09 Maio 2005 | 12h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.