Lucro do HSBC cresce 26% para US$ 6,87 milhões

O HSBC Holdings, segundo maior banco do mundo em termos de valor de mercado, anunciou que o seu lucro pré-imposto cresceu 26% no primeiro semestre do ano, ante o mesmo período de 2002, impulsionado pelas aquisições de dois grandes negócios e por medidas de controle de custos. O lucro do banco subiu para US$ 6,879 milhões, de US$ 5,458 milhões no mesmo período do ano passado, em termos "cash". O resultado superou os US$ 5,663 bilhões previstos pelos analistas. O lucro líqüido do banco foi de US$ 4,11 bilhões, ou US$ 0,40 por ação, na comparação com os US$ 3,28 bilhões, ou US$ 0,35 por ação do mesmo período de 2002. Os números do HSBC foram impulsionados pela aquisição do Household International, grupo financeiro norte-americano especializado em empréstimos para pessoas com históricos fracos de crédito, em novembro do ano passado e também pelo resultado do banco mexicano Financiero Bital, comprado em agosto. O faturamento total do HSBC aumentou 37%. As ações do HSBC subiam 2,9% em Londres, dando suporte ao mercado local. O FTSE-100 está em alta de 1,14%.Banco está atento a oportunidades, inclusive no BrasilAo comentar o balanço divulgado hoje, o presidente do grupo, Sir John Bond, afirmou que a instituição está particularmente "estimulada" pelas oportunidades nos mercados emergentes da Ásia, incluindo Índia e China, Oriente Médio, México e Brasil. A Dow Jones não dá mais detalhes sobre esses comentários. Bond declarou que o banco acredita que os prognósticos para o restante do ano são razoáveis, embora tenha ressaltado que a instituição segue cautelosa sobre a perspectiva de longo prazo, em razão dos desequilíbrios estruturais nas principais economias do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.