Lucro do HSBC mundial cresce 41% em 2003

O HSBC Holdings informou que seu lucro líqüido cresceu 41% em 2003, com as suas aquisições da financeira Household International, nos EUA, e suas operações no México começando a apresentar resultados. O lucro líqüido da instituição sino-britânica aumentou de US$ 6,24 bilhões, em 2002, para US$ 8,77 bilhões, em 2003. O ganho anual por ação aumentou 25%, de US$ 0,67 para US$ 0,84.O faturamento do conglomerado subiu 54%, para US$ 41,1 bilhões. "A integração da Household está caminhando bem. Estamos perto de concluí-la e os resultados parecem bons até o momento", comentou o diretor-financeiro, Douglas Flint. Flint afirmou que os sinais de que a economia norte-americana está melhorando ficaram evidentes com as taxas declinantes de inadimplência da sua unidade Household, que concede empréstimos diretos e a consumidores, financiamentos de automóveis e serviços com cartões de crédito. O executivo destacou que as condições nas linhas de empréstimos nos EUA melhoraram no segundo semestre e a melhora continuou em janeiro e fevereiro. O lucro líqüido com juros subiu 66%, para US$ 25,6 bilhões. A Household contribuiu com US$ 8,3 bilhões e o HSBC México, com US$ 874 milhões. O HSBC informou que sem essas aquisições, o lucro líqüido com juros teria apresentado crescimento marginal. Flint disse que a perspectiva para as margens líqüidas - a diferença entre a taxa paga em depósitos e taxa paga em empréstimos - é de estabilidade. O lucro pré-imposto na unidade banco de investimentos cresceu 14%, para US$ 4,44 bilhões, em 2003, com uma reestruturação que priorizou as áreas de derivativos, bônus conversíveis e negócios imobiliários. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

01 Março 2004 | 13h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.