Daniel Teixeira/ ESTADÃO
Daniel Teixeira/ ESTADÃO

Lucro do Itaú atinge R$ 28,4 bilhões em 2019

No ano passado, banco viu expansão de 10,2% nos ganhos em relação a 2018; no 4º trimestre,crescimento foi de 12,6%

Aline Bronzati, O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2020 | 20h16

O Itaú Unibanco, maior banco privado da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 7,3 bilhões no quarto trimestre do ano passado, alta de 12,6% sobre o mesmo período de 2018. Com isso, o resultado de todo o ano de 2019 foi de R$ 28,4 bilhões, um avanço de 10,2% na comparação com o ano anterior.

No quarto trimestre, o banco explicou que o resultado foi afetado pelo crescimento do crédito de pessoas físicas e pequenas e médias empresas, além de maiores receitas com serviços e tarifas. Do lado negativo, o banco cita aumento de 1,7% nas despesas operacionais por conta do desligamento de pessoal e maiores gastos com provisões para devedores duvidosos na América Latina.

“A melhora do cenário econômico e, consequentemente, do ambiente de negócios, possibilitou a retomada do crédito em 2019, o que impactou positivamente as nossas carteiras em diferentes linhas de produtos”, disse o presidente do Itaú, Candido Bracher, em nota distribuída à imprensa na noite desta segunda-feira, 10. 

O executivo destacou ainda que o banco obteve resultados recordes na área de gestão de recursos de terceiros e também na operação de banco de investimento, impulsionada por operações de mercado de capitais.

Carteira de crédito vai a mais de R$ 700 bi

A carteira de crédito total do Itaú foi a R$ 706,7 bilhões ao fim de dezembro, um crescimento de 10,9% em relação ao ano passado. O desempenho também foi impulsionado pela carteira de micro, pequenas e médias empresas, que registrou avanço de 26,6% em um ano. O segmento de pessoas físicas teve altas de 13,5%, na mesma comparação, enquanto o das grandes empresas subiu pouco mais de 10%.

De um lado, o banco acelerou a concessão de empréstimos no ano passado. De outro, passou a ser ainda mais criterioso do lado das despesas em meio à uma concorrência acirrada com as fintechs (startups do setor financeiro), que vêm pressionando a linha de receitas de serviços dos grandes bancos. 

Nessa busca por cortes de custos, o Itaú anunciou o fechamento de cerca de 400 agências até dezembro de 2019 e ainda fez um programa de demissão voluntária (PDV). Para este ano, a redução da rede física deve ocorrer em menor intensidade, com o banco capturando os ajustes já feitos na operação.

O Itaú encerrou dezembro com R$ 1,74 trilhão em ativos totais, aumento de 5,4% em um ano. O patrimônio líquido do banco era de quase R$ 132 bilhões em dezembro de 2019, uma alta de 0,2% em um ano.

O Itaú comenta seus resultados do quarto trimestre e de 2019 em teleconferência com a imprensa, na terça-feira, 11, às 8h30. O banco realizaria sua tradicional coletiva presencial, em São Paulo, mas mudou os planos após as fortes chuvas na cidade.  

Tudo o que sabemos sobre:
Cândido BracherItaú [banco]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.