Richard Drew/ AP
Richard Drew/ AP

Lucro do Morgan Stanley surpreende e sobe para US$ 1,96 bilhão no 2º trimestre

O banco Wells Fargo também melhorou o desempenho no período, com alta de 12% nos ganhos

Clarissa Mangueira e Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

21 de julho de 2010 | 09h58

O lucro líquido do Morgan Stanley surpreendeu no segundo trimestre, ao mostrar recuperação em relação ao resultado obtido no mesmo período do ano passado, que havia sido prejudicado por despesas com fusão e pagamento de recursos tomados do governo dos EUA. No pré-mercado, as ações operam em alta de 4,4% em reação aos números. Outro banco norte-americano, o Wells Fargo, o quarto maior do país, também melhorou o desempenho no período.

O lucro líquido do Morgan Stanley subiu para US$ 1,96 bilhão ou US$ 1,09 por ação, de lucro de US$ 149 milhões ou prejuízo de US$ 1,10 por ação no segundo trimestre do ano passado. O lucro a partir de operações continuadas foi de US$ 1,4 bilhão ou US$ 0,80 por ação. O lucro líquido inclui um ganho, após impostos, de US$ 514 milhões relacionados a venda de seus operações de administração de ativos no varejo.

O resultado do Morgan difere de seus concorrentes nos Estados Unidos, como o Goldman Sachs que ontem divulgou seu menor lucro desde o pico da crise financeira. O lucro foi influenciado por elevação nas receitas de operações com renda fixa. No final do ano passado, o banco contratou centenas de traders para ajudar a recuperar a fatia de mercado perdida quando reduziu seus riscos diante da crise financeira.

As receitas subiram 53% para US$ 7,95 bilhões, graças às operações da joint venture Morgan Stanley Smith Barney. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters esperavam lucro de US$ 0,46 por ação, sobre US$ 7,93 bilhões em receitas. O lucro do banco norte-americano Wells Fargo & Co. aumentou 12% no segundo trimestre, para US$ 2,88 bilhões ou US$ 0,55 por ação, em comparação com os US$ 2,58 bilhões ou US$ 0,57 por ação no mesmo período do ano passado, com a queda acentuada das provisões da instituição para perdas com crédito.

Wells Fargo

O lucro do Wells Fargo aumentou 12% no segundo trimestre, para US$ 2,88 bilhões ou US$ 0,55 por ação, em comparação com os US$ 2,58 bilhões ou US$ 0,57 por ação no mesmo período do ano passado, com a queda acentuada das provisões da instituição para perdas com crédito.

As ações em circulação do banco subiram 17%, enquanto sua receita recuou 5%, para US$ 21,39 bilhões. Os analistas ouvidos pela Thomson Reuters tinham previsto um lucro de US$ 0,48 por ação sobre uma receita de 21,4 bilhões.

O Wells Fargo tem registrado resultados melhores recentemente na maior parte das vezes, embora não tenha provado ainda que a melhora de seu balanço é sustentável. O banco disse em abril que o crédito tinha superado sua fase mais difícil, apesar de suas provisões para perdas com empréstimos terem aumentando e de seu lucro ter piorado.

As provisões do Wells Fargo para perdas com crédito totalizaram US$ 3,99 bilhões no segundo trimestre do ano, em comparação com os US$ 5,09 bilhões de igual período de 2009 e com os US$ 5,33 bilhões no primeiro trimestre de 2010.

Os empréstimos que os credores não consideram cobráveis líquidos (net charge-offs) aumentaram para 2,33% dos empréstimos alavancados, ante os 2,11% no ano passado, mas recuaram em comparação com os 2,71% registrados no trimestre anterior. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
morgan stanleylucrobalançotrimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.