Lucro do Santander cai 13,6%

O Santander Central Hispano (SCH) registrou um declínio de 13,6% em seu lucro líquido nos primeiros nove meses do ano, em linha com as expectativas dos analistas e atribuiu o resultado às condições em deterioração na América Latina e ao maior provisionamento. O maior banco da Espanha teve um lucro líquido de 1,72 bilhão de euros (US$ 1,69 bilhão) em nove meses até 30 de setembro de 2002, ante um lucro de 1,99 bilhão de euros em igual período do ano passado. O lucro operacional caiu para 4,40 bilhões de euros (US$ 4,33 bilhões), de 4,47 bilhões de euros em 2001. Os analistas haviam previsto uma queda de 14% do lucro líquido para 1,70 bilhão de euros (US$ 1,67 bilhão). No terceiro trimestre, o SCH teve um lucro líquido de 525,3 milhões de euros (US$ 517,2 milhões), um decréscimo de 14% em relação aos 610,9 milhões de euros em igual período de 2001. A receita líquida de juros declinou 4% no período para 7,28 bilhões de euros (US$ 7,16 bilhões), de 7,58 bilhões de euros em 2001, como resultado de uma contribuição zero da Argentina e da depreciação das moedas em outros países da América Latina.O SCH disse que os empréstimos totais em aberto declinaram 1,9% para 169,70 bilhões de euros (US$ 167,10 bilhões). O banco reduziu suas despesas administrativas gerais em 13% para 5,51 bilhões de euros (US$ 5,42 bilhões), de 6,32 bilhões de euros, porém um aumento de 7,9% em provisões para 1,43 bilhão de euros (US$ 1,40 bilhão) atingiu a lucratividade do banco. O Santander disse que teve uma cobertura de 132,9% de empréstimos "podres" no final dos primeiros nove meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.