EPITACIO PESSOA/ESTADÃO
EPITACIO PESSOA/ESTADÃO

Lucro do Santander cresce 23,7% no 4º trimestre e soma quase R$ 2 bi

Os ganhos acumulados do banco espanhol ao longo de 2016 somaram R$ 7,3 bilhões, uma alta de 10,8% em relação a 2015

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2017 | 08h01

O Santander Brasil registrou lucro líquido gerencial, que não exclui a amortização do ágio pela compra do Banco Real, de R$ 1,989 bilhão no quarto trimestre de 2016, incremento de 23,77% em relação ao registrado em igual intervalo do ano anterior, de R$ 1,607 bilhões. Na comparação com os três meses imediatamente anteriores, de R$ 1,884 bilhão, a cifra foi 5,6% maior.

O lucro líquido do Santander Brasil gerencial soma R$ 7,337 bilhões em 2016, cifra 10,8% maior que em 2015, de R$ 6,624 bilhões. Já no critério societário, o resultado do espanhol no País é de R$ 5,533 bilhões em 2016, queda de 20,9% em relação aos R$ 6,998 bilhões registrados no exercício de 2015.

O resultado foi comemorado pelo presidente do banco no País, Sérgio Rial, que classificou o ano passado como  o melhor da história. O banco retomou a liderança na geração de resultados globais da instituição, desbancando o Reino Unido que estava no posto há dois anos.

"Nosso ano foi marcado por uma agenda intensa de transformação, que levou o banco a um patamar mais elevado em termos de velocidade e eficiência, culminando em uma maior rentabilidade. A partir desses avanços, alcançamos o melhor resultado da nossa história no Brasil, com clientes mais satisfeitos e um nível de engajamento dos funcionários superior a 85%", avalia Rial, em nota à imprensa.

A carteira de crédito ampliada do Santander totalizou R$ 322,783 bilhões no quarto trimestre, montante 3,8% maior que o registrado três meses antes. Já em um ano, quando o saldo estava em R$ 330,947 bilhões, o montante foi 2,5% menor. No conceito bruto, a carteira de crédito do banco somou R$ 256,9 bilhões ao final de dezembro, alta de 3,9% em relação a setembro e redução de 1,6% em um ano.

O banco encerrou dezembro com R$ 701,705 bilhões em ativos totais, alta de 3,6% em um ano, de R$ 677,450 bilhões. No comparativo com setembro, houve aumento de 6,1%. O patrimônio líquido da instituição totalizou R$ 57,772 bilhões no quarto trimestre, elevação de 5,4% em 12 meses e queda de 5,8% na comparação com o terceiro trimestre.

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) do Santander Brasil foi a 13,3% ao final de dezembro último, aumento de 0,5 ponto porcentual ante 2015, quando ficou em 12,8%. O banco reitera que mira rentabilidade de 15,6% em 2018. No quarto trimestre, o retorno foi de 13,9% ante 13,1% no terceiro trimestre.

O Santander lembra, em relatório, que deve concluir neste ano a amortização do ágio referente à compra do banco Real. Originalmente, conforme a instituição, a previsão era de que se encerrasse em 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.