Lucro do Unibanco cresce 3,37%, para R$ 491 milhões

O Unibanco encerrou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 491 milhões, o que representa crescimento de 3,37% em relação ao resultado de R$ 475 milhões do mesmo período de 2002. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido médio no semestre foi de 15,2%. As receitas da intermediação financeira caíram 25,47%, para R$ 4,928 bilhões em junho. As despesas da intermediação somaram R$ 2,505 bilhões, com queda de 45,26%, levando a um resultado bruto de intermediação de R$ 2,423 bilhões (19,01%). O banco fechou junho com lucro operacional de R$ 1,023 bilhão, o que representa um crescimento de 45,72%.As operações de crédito, incluindo garantias prestadas, atingiram o montante de R$ 26,195 bilhões no final de junho de 2003, com queda de 1,3% quando comparadas ao mesmo mês do ano passado. O saldo total da provisão para perdas com créditos no final do primeiro semestre de 2003, em relação à carteira classificada de E a H com parcelas em atraso, apresentou melhora em relação a junho de 2002, passando de 135,9% para 141,6%. O saldo das provisões para perdas com créditos encerrou o semestre em R$ 1,481 bilhão, representando 5,7 % da carteira. Estão provisionados: R$ 566 milhões, ou 38,2% do total da provisão, segundo critérios da Resolução 2.682, para parcelas vencidas; R$ 720 milhões, ou 48,6% da provisão, referentes aos níveis de risco das operações segundo parâmetros da Resolução 2.682, relativos a contratos vincendos; e R$ 195 milhões, baseados em percentuais mais prudentes do que o mínimo exigido pela regulamentação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.