Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Lucro dos bancos nos EUA é o menor desde 1991

Os lucros dos bancos nos Estados Unidos caíram no último trimestre do ano passado ao nível mais baixo desde o final de 1991, com os bancos declarando baixas contábeis de seus ativos podres e destinando mais recursos para cobrir possíveis calotes. A FIDC (Federal Deposit Insurance Corporation), que garante os depósitos bancários, informou que os bancos divulgaram lucro líquido de US$ 5,8 bilhões no quarto trimestre de 2007, o que representa uma queda de 83,5% em relação ao lucro que as instituições com garantias federais anunciaram no quarto trimestre de 2006.A agência disse que os problemas foram disseminados, com mais de metade de todos os bancos informando lucro líquido menor no quarto trimestre na comparação com igual período de 2006. Um em cada quatro bancos com ativos acima de US$ 10 bilhões apresentou prejuízo líquido no quarto trimestre.Os resultados do ano inteiro foram igualmente fracos. Os bancos garantidos pela FDIC apresentaram lucro líquido de US$ 105,5 bilhões em 2007, um declínio de 27,4% sobre o recorde de US$ 145,2 bilhões apresentado pelo setor em 2006. A agência disse que menos da metade dos bancos comerciais e instituições de poupança apresentou aumento no lucro líquido no ano de 2007, uma tendência que pode continuar em 2008."A fraqueza no setor de moradia e o aperto do crédito nos mercados financeiros fizeram (de 2007) um momento muito desafiador para muitas instituições", afirmou a presidente da FDIC, Sheila Bair em comunicado. "E podemos esperar a continuidade destes problemas em 2008."InadimplênciaO dado mais problemático para o setor bancário deve ser o de crédito em atraso há pelo menos 90 dias. A FDIC informou que 1,39% dos créditos do setor estava inadimplente no fim do quarto trimestre, o nível mais alto desde o terceiro trimestre de 2002. O montante de créditos em atraso aumentou 32,5% em relação ao terceiro trimestre, maior aumento porcentual num único trimestre nos 24 anos em que o dado é coletado.As hipotecas residenciais continuam sendo o maior problema para os bancos, mas quase todos os tipos de empréstimos registraram um aumento significativo na porcentagem de crédito em atraso durante o trimestre. A FDIC disse que 2,06% dos créditos hipotecários estavam em atraso de pelo menos 90 dias no trimestre - o nível mais alto nos 17 anos em que o dado é monitorado. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.