Lucro global da Telefónica foi de US$ 13,4 bi em 2007

A Telefónica, operadora espanhola de telefonia que no Brasil divide o controle da Vivo com a Portugal Telecom e atua na telefonia fica no Estado de São Paulo, registrou crescimento de 2,3% no lucro líquido no quarto trimestre de 2007, para 1,06 bilhão de euros (US$ 1,6 bilhão). Em comunicado, o grupo atribuiu o desempenho à concorrência mais acirrada e regulamentação mais rígida na Espanha, além de movimentos desfavoráveis do câmbio em mercados chave na América Latina - o que limitou o crescimento.Em todo o ano de 2007, o lucro líquido do grupo cresceu 43% e somou 8,91 bilhões de euros (US$ 13,45 bilhões), enquanto sua receita avançou 7%, para 56,44 bilhões de euros (US$ 85,2 bilhões)."A Telefónica tem mostrado uma clara desaceleração do crescimento por causa da competição mais acirrada, câmbio desfavorável e custos com reestruturação", observa Javier Borrachero, analista do banco ING. Segundo ele, o ambiente macroeconômico difícil e a competição talvez tenham um impacto negativo nos resultados de 2008 e no preço da ação da companhia.Atualmente, o grupo está passando por um programa de reestruturação, promovendo cortes no segmento de linha fixa na Espanha e se concentrando na telefonia móvel e internet de alta velocidade.A Telefónica também vem se desfazendo de ativos de menor importância para seus resultados. Em 2007, a operadora espanhola vendeu sua parte na produtora de televisão holandesa Endemol, criadora do Big Brother, para um consórcio que inclui o conglomerado de mídia italiano Mediaset Spa.No final de 2007, o grupo registrava em sua carteira 228,5 milhões de clientes em todo o mundo, indicando um acréscimo de 12% na comparação com o ano anterior. O número de usuários de banda larga cresceu quase 29%, para 10,2 milhões de pessoas. As informações são da Dow Jones.

FABIANA HOLTZ, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2008 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.