Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Lucro líquido da Petrobrás cai 20% no 1º semestre

Valor foi de R$ 10,931 bilhões; empresa justificou queda com despesas na Petros e atraso cambial

Nicola Pamplona, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2014 | 00h00

 A Petrobrás anunciou ontem lucro líquido de R$ 10,931 bilhões no primeiro semestre de 2007, valor 20% inferior ao do mesmo período de 2006. Segundo a companhia, o resultado acumulado sofre forte influência do mau desempenho no primeiro trimestre, quando houve queda de 38,1% em relação ao ano anterior, principalmente por causa das despesas com repactuação do plano Petros e valorização do real ante o dólar. No segundo trimestre, a companhia lucrou R$ 6,8 bilhões, 2% a menos do que o mesmo período de 2006.  Veja a história da PetrobrasA valorização do real continua influindo no desempenho da companhia, afirmou ontem o diretor financeiro da Petrobrás, Almir Barbassa. Segundo ele, a alta de 11% da moeda brasileira no semestre provocou perdas de R$ 1,5 bilhão. Desse total, pouco mais de R$ 800 milhões foram contabilizados no segundo trimestre, quando o real ficou 6% mais caro. Barbassa explicou que a variação cambial tem forte efeito na valorização dos ativos físicos e financeiros da empresa no exterior."Foi uma perda razoável. O resultado poderia ter sido melhor", disse Barbassa. Além do câmbio, a empresa vem sofrendo com aumento de custos de produção, sem que os volumes de petróleo e gás extraídos subam na mesma proporção. Sem contar royalties e participações especiais, o custo médio de extração no semestre subiu 9,85% em reais, para R$ 14,83 por barril. Em dólares, a alta foi de 16,88%, para US$ 7,27 por barril. Já a produção total de petróleo e gás subiu apenas 1%, atingindo 2,304 milhões de barris de óleo equivalente por dia.No Brasil, a produção média no semestre foi de 2,066 milhões de barris de óleo equivalente - dos quais, 1,795 milhão de barris referem-se apenas à extração de petróleo, que foi 2% maior do que no mesmo período do ano anterior. Apesar de ter instalado quatro plataformas, com capacidade de cerca de 230 mil barris por dia, a produção média diária só foi ampliada em 41 mil barris. O restante foi corroído pelo declínio de campos antigos. Segundo Barbassa, até o fim do ano, 480 mil barris por dia serão adicionados, por meio de três novas plataformas.Apesar da queda do lucro, a Petrobrás teve aumento de 9,3% de receita no primeiro semestre, fruto principalmente da início das operações da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, e de uma maior atividade de trading internacional de petróleo e derivados. As vendas internacionais de produtos cresceram 46%, de 448 para 655 mil barris por dia.Já os ganhos com comércio exterior caíram de R$ 389 milhões, no primeiro semestre de 2006, para R$ 285 milhões, apesar do aumento na exportação líquida de 89 mil para 105 mil barris por dia. O desempenho resulta do aumento na diferença entre o preço do óleo brasileiro e o brent - parâmetro internacional de preços - de US$ 9,8 para US$ 11,9 por barril.A Petrobrás investiu R$ 19,795 bilhões no semestre, 45% mais do que no mesmo período de 2006. A maior fatia de recursos (46%) foi para exploração e produção. A área de abastecimento também teve mais investimentos, refletindo a compra da Ipiranga, em consórcio com Braskem e Ultra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.