Lucro líquido da Philip Morris cresce 14% no trimestre

A Philip Morris, maior empresa da área de fumo do mundo, informou que seu lucro líquido cresceu 14% no segundo trimestre deste ano, em comparação com igual período do ano passado, refletindo a redução das despesas com juros de sua dívida e uma alteração contábil referente a aquisições. A Philip Morris registrou lucro de US$ 2,61 bilhões, ou US$ 1,21 por ação diluída, de US$ 2,28 bilhões, ou US$ 1,03 por ação no segundo trimestre do ano passado. As vendas da companhia subiram 1,5%, para US$ 21,1 bilhões. O lucro subjacente da Philip subiu 8%, para US$ 2,7 bilhões, ou US$ 1,24 por ação. Os lucros subjacentes excluem o efeito acumulativo de uma alteração na contabilidade das atividades com derivativos e hedge da empresa, além de tratar a oferta pública inicial de ações da Kraft como se ela tivesse ocorrido em 1 de janeiro. Apesar de o lucro subjacente da Philip ter superado as projeções dos analistas em um centavo, as ações da empresa caíam 1,90% na Bolsa de Nova York. A companhia previu que o crescimento de seus lucros subjacentes por ação em 2002 ficará no nível mais baixo da faixa de 9% a 11% prevista, em razão dos investimentos de US$ 350 milhões que suas unidades domésticas e internacionais deverão fazer nas chamadas marcas premium e nos pontos de venda do varejo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.