Lucro líquido da Schering cai 6% no primeiro semestre

O grupo farmacêutico alemão Schering registrou no primeiro semestre deste ano uma queda no lucro líquido, que ficou em 301 milhões de euros (US$ 379 milhões), 6% a menos que no mesmo período de 2005. Segundo informou nesta terça-feira a empresa, os resultados foram prejudicados pelas despesas extraordinárias da disputa entre Bayer e Merck pela companhia, assim como pelos custos de algumas vendas de participações.No entanto, o faturamento cresceu 11% nos seis primeiros meses do ano, chegando a 2,824 bilhões de euros (US$ 3,558 bilhões), em comparação com os números do primeiro semestre do ano passado.A Schering acrescentou que a renda das vendas de sua pílula anticoncepcional Yasmin aumentou 33%, para 351 milhões de euros (US$ 442 milhões)."Nossa competitividade em mercados especiais é uma boa base para o futuro da divisão de farmácia da Bayer Schering Pharma", disse o presidente da Schering, Hubertus Erlen.Após uma acirrada disputa com a Merck, o grupo farmacêutico alemão Bayer comprou os laboratórios Scherin. A Bayer teve que pagar mais que pretendia inicialmente: 89 euros por ação, 3 euros acima da sua primeira oferta pública de aquisição.As ações da Schering caíram 0,4% após a abertura da negociação da Bolsa de Frankfurt, para 91,19 euros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.