finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Lucro líquido do Unibanco sobe para R$ 2,621 bi até setembro

Resultado, que representa alta de 123%, fica atrás de Itaú e Bradesco, mas supera faturamento do Real

Alberto Alerigi Jr., da Reuters,

08 de novembro de 2007 | 08h26

O Unibanco divulgou nesta quinta-feira lucro líquido de R$ 2,621 bilhões nos primeiros nove meses de 2007, um avanço de 123% ante o mesmo período do ano passado. Sem efeitos extraordinários, o lucro recorrente foi de R$ 1,885 bilhão, com avanço de 15%.   Nesta semana, já foram divulgados os lucros do Bradesco, Itaú e Real. O primeiro teve resultado de R$ 6,444 bilhões até setembro, superior a qualquer lucro anual de bancos brasileiros de capital aberto, nos últimos 20 anos.   Até agora, os cinco bancos - Bradesco, Itaú, Unibanco, Real e Santander - que apresentaram resultado referente ao período de janeiro a setembro lucraram, juntos, R$ 18,48 bilhões. O valor é cerca de 80% superior ao verificado em igual período de 2006.   No terceiro trimestre, a instituição teve lucro líquido recorrente de R$ 667 milhões, um avanço de 17,8% sobre igual período de 2006, impulsionado por um crescimento nas carteiras de financiamento de veículos, crédito consignado e pequenas e médias empresas.   O resultado ficou acima da média de previsões de cinco analistas consultados pela Reuters, que indicava ganho recorrente de R$ 622 milhões. No segundo trimestre, o Unibanco teve lucro ajustado de R$ 638 milhões.   Sem os ajustes que incluem um ganho de R$ 680 milhões com a oferta pública inicial de ações da empresa de cartões Redecard, o Unibanco teve um lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre, um salto frente aos R$ 106 milhões de um ano antes.   O retorno sobre patrimônio líquido médio anualizado antes de itens extraordinários, importante indicador da lucratividade de um banco, cresceu no período de 24,8% para 26,5%.   A carteira de crédito atingiu R$ 55,9 bilhões ao final de setembro, evolução de 29% sobre o mesmo período do ano passado.   O destaque no período foi o financiamento de automóveis, que avançou 70,6%, para R$ 7,17 bilhões. O crédito a pequenas e médias empresas subiu 37,1% e cartões cresceu 31,2%.   O Unibanco fechou o trimestre com ativos totais de R$ 133,92 bilhões, crescimento de 31,4% na comparação com o terceiro trimestre de 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
Unibancolucro dos bancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.