Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Lucro recorrente do Santander Brasil sobe para R$ 1,7 bilhão no terceiro trimestre

O lucro recorrente não exclui o ágio da compra do Real; resultado representa uma alta de 17% em relação ao mesmo período do ano passado e de 2% ante o trimestre imediatamente anterior

Fernanda Guimarães, O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2015 | 07h32

O lucro líquido gerencial do Santander Brasil, que não exclui o ágio da compra do Real, ficou em R$ 1,708 bilhão, alta de 17% em relação ao mesmo período do ano passado. Ante o intervalo imediatamente anterior houve alta de 2%.

Segundo o documento que acompanha o seu demonstrativo financeiro, o Santander destaca que o resultado foi afetado por dois eventos não recorrentes. O primeiro uma decisão judicial favorável obtida pelo banco com relação a Cofins a compensar, no valor de R$ 765 milhões, contabilizado na linha de outras receitas operacionais. O outro foi a conclusão da venda do negócio de custódia, no valor de R$ 751 milhões, contabilizado na linha de resultado não operacional.

Já lucro líquido societário atingiu R$ 1,266 bilhão no terceiro trimestre do ano, aumento de 136% em um ano. No entanto, em relação ao trimestre imediatamente anterior houve uma queda de 67,4%.

A carteira de crédito ampliada do Santander no intervalo de julho a setembro ficou em R$ 332,3 bilhões, crescimento de 13,4% ainda na relação anual. Na comparação com o segundo trimestre do ano houve alta de 3,3%.

Os ativos totais, por sua vez, chegam em R$ 702,4 bilhões ao fim do terceiro trimestre de 2015, crescimento de 36,4% ante o mesmo intervalo de 2014 e de 16% ante o período de abril a junho.

O patrimônio líquido chega a quase R$ 53 bilhões, alta de 4,9% na relação anual, mas queda de 6,5% ante o segundo trimestre deste ano.

Banco espanhol. O espanhol Santander anunciou que teve lucro líquido de 1,68 bilhão de euros (US$ 1,86 bilhão) no terceiro trimestre deste ano, 5% maior que o ganho de 1,6 bilhão de euros registrado em igual período de 2014. O resultado veio praticamente em linha com a previsão de analistas consultados pela FactSet, de lucro de 1,7 bilhão de euros.

Segundo o Santander, no entanto, seu lucro trimestral foi pressionado pela desvalorização do real ante o euro ao longo do último ano. A operação no Brasil é responsável por cerca de 20% do lucro do banco espanhol, ficando atrás apenas da contribuição da subsidiária do Reino Unido.

Nos primeiros noves meses do ano, o lucro do Santander no Reino Unido, no Brasil e na Espanha - onde ficam as três principais unidades do banco - cresceu em relação ao mesmo período do ano passado.

O Santander, maior banco da zona do euro em valor de mercado, também informou que sua receita líquida de juros subiu para 7,98 bilhões de euros no trimestre. Essa medida, que corresponde à diferença entre o que os bancos pagam aos clientes por depósitos e cobram por empréstimos, veio um pouco acima da projeção do mercado, de 7,9 bilhões de euros.

Mais conteúdo sobre:
Santanderbancosbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.