Lucros dos Correios cresceu 169% no primeiro semestre do ano

Os Correios registraram um lucro 169% maior no último semestre. O presidente da estatal, Carlos Henrique Almeida Custódio, revelou ao Estado que os ganhos da empresa saltaram de R$ 123,51 milhões de janeiro a junho de 2009 para R$ 333,11 milhões nos primeiros seis meses deste ano. "A ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) é uma empresa superavitária", afirmou Custódio. Ele destacou que, no ano passado, no auge da crise, o lucro dos Correios aumentou 8,4% sobre o primeiro semestre de 2008, rebatendo as críticas de que a estatal só obteve expansão dos resultados porque a base de comparação é fraca.

Karla Mendes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

Mesmo em um cenário de queda de 1 bilhão da cartas postadas por pessoas físicas ao ano, os Correios obtiveram aumento da receita total de R$ 5,78 bilhões para R$ 6,34 bilhões. Segundo Custódio, esse avanço ocorreu a reboque do crescimento da economia brasileira. "Aumentamos nossa participação no mercado e o volume de cargas cresceu cerca de 10%, atrelado ao crescimento da economia brasileira".

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro teve incremento de 2,7% no primeiro trimestre de 2010, em comparação ao último trimestre de 2009, e de 9% frente aos primeiros três meses do ano passado.

O principal pilar da expansão, disse Custódio, é o aumento da demanda por pessoas jurídicas nos segmentos de encomendas e expresso (onde se enquadra o Sedex), consequência, sobretudo, do aumento das vendas de produtos pela internet. "Esse é o nosso carro chefe. E nesse segmento não temos monopólio e somos líderes de mercado, com 35% de participação", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.