Lugo diz que Paraguai fica no Mercosul e buscará China

O presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, afirmou hoje que o Paraguai não abandonará o Mercosul e anunciou que seu país buscará relações com a China, atualmente inexistentes. "A integração regional deve ser obtida com consenso entre os países membros do Mercosul em favor da eliminação das assimetrias" que afetam particularmente o Paraguai e o Uruguai, declarou Lugo em conversa com jornalistas nesta terça-feira.O bloco comercial conta ainda com o Brasil e a Argentina como membros plenos. O Chile e a Bolívia participam na condição de parceiros preferenciais. A Venezuela aspira a um lugar no Mercado Comum do Cone Sul, mais conhecido como Mercosul.A posição de Lugo significa um rechaço às propostas da União Industrial Paraguai e da Federação de Produção e Comércio do Paraguai. Os dois grupos defendem que o país saia do Mercosul por causa da política alfandegária do bloco, ditada pelos sócios maiores, Brasil e Argentina.ChinaConsultado sobre a possibilidade de um relacionamento diplomático com a República Popular da China, Lugo respondeu: "Sem pressão de ninguém, o Paraguai como país soberano e independente desde 1811, começará a trabalhar para estabelecer relações com esse país"."Se outras nações mantêm relações comerciais e diplomáticas com a China continental, por que temos que ficar para trás?", questionou o presidente eleito.A intenção de Lugo significa um revés para Taiwan. Pouco mais de 20 países no mundo todo mantém relações com Taipé. Uma das exigências chinesas para manter relações com um país é que o mesmo não se relacione com Taiwan. China e Taiwan romperam em 1949, quando o grupo revolucionário liderado por Mao Tsé-tung venceu a Guerra Civil. Os nacionalistas, derrotados, estabeleceram-se no arquipélago.Pequim considera Taiwan parte integrante de seu território e busca a reunificação, mas ameaça deflagrar uma guerra caso líderes nacionalistas taiwaneses busquem a independência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.