Lula acena com novas medidas contra real forte

Confirmando as expectativas do mercado e os alertas do Ministério da Fazenda, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou, na manhã de ontem, que novas medidas poderão ser adotadas pelo governo para conter a queda do dólar. "Serão tomadas quantas (medidas) forem necessárias", avisou, sem explicar o que mais poderia ser feito. Lula foi mais longe e disse que podem ser adotadas também ações para conter as compras de produtos do exterior, "caso o ministro do Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio, Miguel Jorge, diga que as importações estão incomodando". Ele ressalvou, no entanto, que, por enquanto não é preciso reduzir as importações. "Nós temos de continuar trabalhando para aumentar as nossas exportações", completou.

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2010 | 00h00

O aviso do presidente foi dado em entrevista no Palácio do Planalto, após ser apresentado ao novo carro elétrico da Mitshubishi, o I-Miev.

Para Lula, "é importante lembrar que o problema (cambial) não é só do Brasil". O presidente disse ainda que concorda com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que anunciou que está havendo uma verdadeira guerra cambial. E emendou: "E todo mundo está percebendo que existe mesmo esta guerra cambial e que nós precisamos, no G-20, discutir e dar uma solução definitiva para isso''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.