Lula adia decisão sobre o preço da gasolina

Preocupado com a disparada da inflação, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva abortou hoje, temporariamente, a decisão sobre o aumento no preço da gasolina. Numa reunião que durou mais de três horas, Lula demonstrou contrariedade com as pressões da Petrobras para aumentar o preço do combustível. O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) acumulado em 12 meses de 9,81%, resultado mais elevado desde abril de 2005, acendeu o sinal de alerta no Palácio. Não há clareza, no governo, sobre os efeitos colaterais de um aumento da gasolina. Teme-se que o reajuste dos combustíveis possa embalar ainda mais a inflação.Segundo assessores, apesar da resistência inicial do presidente, que espera sinais do mercado, o assunto será novamente discutido quarta-feira. Da reunião participaram o presidente da estatal, Sérgio Gabrielli, e os ministros Edson Lobão (Minas e Energia), Guido Mantega (Fazenda) e Dilma Rousseff (Casa Civil).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.