Lula anuncia medidas para microcrédito

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou hoje um pacote de R$ 3,950 bilhões que vai abrir caminho para que aproximadamente 25 milhões de brasileiros tenham a primeira conta bancária. Também serão concedidos empréstimos à população de baixa renda que deverão variar entre R$ 200 e R$ 600, com taxas de juros não superiores a 2% ao mês. "No Brasil, ele (o crédito) falta justamente para quem não dá calote, justamente para o pobre que compra e paga em dia, que não desvia o dinheiro, que não o remete para fora, que não tem conta em paraíso fiscal", disse Lula. Do total, R$ 1,5 bilhão é o que o governo estima que os bancos destinarão aos microempréstimos. O dinheiro sairá de uma parcela dos depósitos à vista em poder dos bancos. Haverá mais R$ 1,3 bilhão de recursos livres do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) que irão para as linhas de financiamento de capital de giro e de compra de material de construção que já são oferecidas pelos bancos.O pacote prevê ainda que o BNDES destinará mais R$ 1 bilhão, também do FAT, para o microcrédito. Haverá, ainda, R$ 150 milhões em recursos do Tesouro Nacional para os fundos criados no Programa de Incentivo à Implementação de Projetos de Interesse Social (Pips).Para o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, "definitivamente, o Brasil saiu da UTI e pode colocar na pauta o crescimento econômico." O ministro disse que as projeções de inflação, que no início do ano apontavam para 40% no ano, agora apontam para uma taxa anual de 7%, com tendência de queda. "Vencemos uma primeira etapa derrotando definitivamente a inflação alta. Ela saiu das manchetes dos jornais. Agora, o debate é o crescimento."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.