Lula aprova proposta de compensação para termelétricas

A proposta de se criar um novo mecanismo de compensação a ser imposto aos investidores interessados em construir novas usinas termelétricas, feita pelo novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, tem a simpatia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A informação é da assessoria de imprensa do Ministério do Meio Ambiente.A idéia de Minc é tornar nacional uma regra que entrou em vigor esta semana no Rio de Janeiro. Ela estabelece que investidores que construam novas usinas termelétricas movidas a combustíveis mais poluentes, como carvão, óleo combustível ou diesel, têm de investir também na geração de energia por meio de fontes renováveis.Dessa forma, segundo o ministério, para cada 100 megawatts (MW) novos gerados por fontes mais poluentes, o empreendedor teria de investir na geração de cerca de 3 MW em projetos como centrais eólicas, usinas de biomassa, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) ou centrais de energia solar.Minc já havia anunciado que levaria essa proposta ao presidente Lula na terça-feira passada, logo após tomar posse. Procurado, o Ministério de Minas e Energia não se pronunciou sobre o assunto. O secretário-executivo do ministério, Márcio Zimmermann, disse apenas que a proposta tem de ser analisada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.