Lula: Brasil é um dos primeiros países a sair da crise

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que o Brasil foi um dos últimos a sentir os efeitos da crise e é "um dos primeiros a sair dela". Durante o discurso na 64ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, o presidente disse que o País não fez "nenhuma mágica". "Simplesmente havíamos preservado nosso sistema financeiro do vírus da especulação", ponderou.

NALU FERNANDES, Agencia Estado

23 de setembro de 2009 | 12h30

O presidente reiterou que o País já saiu da breve recessão e apontou que a economia "retomou seu ímpeto e anuncia um 2010 promissor". Segundo Lula, "as exportações recuperam seu vigor, o emprego se recompõe de forma extraordinária e o equilíbrio macroeconômico foi preservado sem afetar as conquistas populares". O presidente disse ainda que o Brasil e outros países demonstraram que é necessário que, nos momentos de crise, sejam realizados "audaciosos programas sociais e de desenvolvimento".

Durante seu discurso, Lula afirmou que o Brasil havia reduzido a vulnerabilidade externa, passando da condição de devedor à de credor internacional. "Decidimos, junto com outros países, aportar recursos para que o FMI (Fundo Monetário Internacional) empreste dinheiro aos países mais pobres sem os condicionamentos inaceitáveis do passado", ponderou. O presidente brasileiro lembrou que o País desenvolveu políticas anticíclicas antes e depois do agravamento da crise. "Aprofundamos nossos programas sociais, especialmente os de transferência de renda. Aumentamos os salários acima da inflação. Estimulamos, por meio de medidas fiscais, o consumo, para impedir que se detivesse a roda da economia", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
ONULulacriseBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.