Lula busca opções para impedir supervalorização do real

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliou ontem a situação das contas externas e o quadro inflacionário, durante reunião no Palácio do Planalto, que contou com a participação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, do presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e do economista Luiz Gonzaga Belluzzo.Ao final do encontro, o único a falar foi Mantega, que procurou tranqüilizar. ?A avaliação sobre a classificação do Brasil para grau de investimento foi positiva?, disse. ?O Brasil será objeto de novos investimentos externos de boa qualidade.? A área econômica trabalha com dois caminhos para evitar que a classificação do País como grau de investimento e o aumento da taxa de juros possam resultar em queda da cotação do dólar no mercado interno, com uma deterioração ainda maior da balança comercial.Em primeiro lugar, anunciará segunda-feira uma política industrial, com uma ambiciosa desoneração fiscal ?de bilhões de reais? para as empresas exportadoras. Outra decisão já tomada é a criação de um fundo soberano, a ser administrado pelo Tesouro Nacional, cujo objetivo é retirar cerca de US$ 20 bilhões no mercado. Com isso, a expectativa do governo é provocar uma elevação da cotação do dólar. Embora a constituição do fundo leve tempo, pois terá de ser aprovado pelo Congresso Nacional e suas operações, incluídas no Orçamento da União, o governo espera que a partir do anúncio já seja criada uma expectativa favorável à alta do dólar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.