Lula chega a Rússia para participar de cúpula do G-8

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou por volta das 12 horas deste sábado a São Petersburgo, na Rússia, onde participará como convidado do segundo e terceiro dias de reuniões do G-8 (formado por Estados Unidos, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Japão, Canadá e Rússia). Lula não falou com a imprensa na sua chegada e estava acompanhado por três ministros: Dilma Roussef (Casa Civil), Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento) e Celso Amorim (Relações Exteriores). A primeira-dama, Marisa, também acompanhou o presidente.Além do Brasil, também terão representações - como convidados - o México, China, África do Sul, Índia e Congo. Entre os assuntos a serem discutidos no encontro estão a intensificação dos ataques de Israel à Palestina e o bombardeio ao Líbano, que causam elevação dos preços internacionais de petróleo por conta de riscos ao desabastecimento. O anfitrião da reunião de cúpula e presidente da Rússia, Vladimir Putin, já havia priorizado a questão da segurança energética na agenda. Na sexta-feira, Putin engrossou a fileira dos chefes de Estado que condenaram a ação militar israelense e, assim como seus colegas George W. Bush, dos Estados Unidos, e Jacques Chirac, da França, demonstrou preocupação com a situação do produto no mercado internacional.Aproveitando o conflito e a tensão energética causada por ele, o presidente Lula deverá expor suas propostas de transformar o etanol numa commodity e de incentivar o consumo de outros recursos renováveis, como o biodiesel e o H-Bio. O assunto deve ser abordado na manhã de segunda-feira, e já conta com o apoio dos Estados Unidos e da França.Doha Lula trará também aos debates a necessidade de desbloquear neste mês a Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC), a partir de decisões políticas sobre tópicos aparentemente técnicos, como a redução de subsídios à produção agrícola e a abertura desse mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.