Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Lula cobra fiscalização sobre redução no preço do combustível

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em encontro com produtores de açúcar e álcool, que recomendou aos departamentos de defesa do consumidor maior rigor na fiscalização dos combustíveis para garantir a redução do preço da gasolina a partir de 1º de junho, quando o porcentual de álcool anidro adicionado a gasolina será elevado de 20% para 25%."Se vamos aumentar de 20% para 25% (a mistura), precisamos ter rastreabilidade, e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) vai ter que saber por que essa redução não chega ao consumidor", afirmou o presidente. "Não adianta os produtos terem os preços reduzidos, se você tem, na cadeia produtiva, pessoas malandras que acham que podem enganar os outros". Segundo o presidente, "no fim do processo acaba o pobre enganando o pobre" (os donos de postos enganando o consumidor).Lula reclamou que em muitos lugares do País os postos de combustíveis não reduziram os preços, mesmo com a redução em 10% dos preços pelas refinarias da Petrobras. Ele disse que, no Nordeste, a gasolina sofreu redução média de apenas 1,9%; no Norte, de 2,9%; em São Paulo, de 3,8%; no Centro-Oeste, de 4% e, na Região Sul, de 5%. "Vocês percebem que, muitas vezes, não adianta o governo ter boa vontade, se na sociedade tem gente que acha que é mais esperta que as outras", afirmou.O presidente reclamou também que, quando o governo anuncia uma redução de preços dos combustíveis, o mercado demora a repassar a redução para os consumidores. O mesmo, segundo ele, não ocorre quando da alta dos preços dos combustíveis nas refinarias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.