Lula comemora contratos para construção de plataformas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou hoje da cerimônia de assinatura de 11 contratos relativos à construção de três novas plataformas e a reforma da P34, todas destinadas a Bacia de Campos. "O que nós estamos fazendo é tirar da prateleira o nosso conhecimento tecnológico, o nosso potencial de operários e empresários e colocar para funcionar. Nós estamos apenas dizendo: nós existimos, existimos, e agora vamos mostrar porque a gente quer que sejam feitas no Brasil estas coisas que outros pensavam que só poderiam ser feitas lá fora", disse o presidente. Lula se referia à intenção da administração anterior da Petrobras de construir plataformas no exterior e citou um contrato que seria feito com a Noruega. Lula, em discurso, disse que a cerimônia "é a demonstração de que se durante todo esse tempo, o Brasil tivesse acreditado um pouco mais em si mesmo, podería estar em situação muito melhor do que está hoje". ?Top de linha?Para o presidente, o gesto que a Petrobras fez hoje demonstra que o País tem muito mais coisas que podem ser feitas internamente. "E certamente vamos fazer. Nós vamos recuperar a capacidade de trabalhar da nossa gente e vamos recuperar a credibilidade que o Brasil tem na sua indústria naval", afirmou. Lula brincou dizendo aos trabalhadores e empresários da indústria naval: "certamente com este contrato e com outros que ainda firmaremos, vocês voltarão a ser top de linha, voltarão a ser empresários da moda na produção de grandes navios e grandes plataformas".Segundo o presidente, a construção de plataformas no Brasil era um desejo não só dele mas de vários outros candidatos presidenciáveis. "O (Anthony) Garotinho defendia isso. O Ciro Gomes defendeu isso durante a campanha. Era uma desejo dos estaleiros, dos trabalhadores, dos empresários da indústria naval brasileira, dos prefeitos e dos Estados que serão beneficiados", disse. "Era um desejo, eu diria, de muita gente da Petrobras, apesar de na época a Petrobras, enquanto direção, defender que fosse feito fora do Brasil, inclusive com artigos virulentos contra a idéia xenófoba de querer trazer para cá coisas que só o primeiro mundo produzia", criticou. Lula encerrou o discurso fazendo uma referência aos investimentos do BNDES, no que se refere a plataformas. O banco vai desembolsar este ano, US$ 120 milhões em financiamento. "Este valor subirá para no mínimo US$ 800 milhões em 2005 e se repetirá em 2006. O BNDES também financiará U$$ 300 milhões para embarcações de apoio à produção de petróleo e gás nos próximos anos", informou o presidente.Lula disse que, em relação a navios petroleiros, o valor deverá chegar a US$ 1 bilhão. "Se a Petrobras concretizar todas as encomendas que nós achamos que ela deve encomendar, a gente pode consolidar uma frota marítima excepcional no Brasil", afirmou o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.