Lula conclama Brasil e México a ampliar comércio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conclamou hoje os empresários mexicanos e brasileiros a ampliarem suas relações de comércio, hoje restritas ao setor de autopeças e carros. No discurso feito hoje no Fórum Brasil-México, Lula disse não se conformar com o fato de as duas maiores economias latino-americanas terem uma balança comercial de apenas de US$ 5 bilhões. "Eu falo para os mexicanos: o que o Brasil pode oferecer para o México? E o México para o Brasil? Vamos meditar: qual é a lógica de o México não ter medo dos Estados Unidos e ter medo do Brasil?"O presidente Lula afirmou que é preciso que os empresários "abram a cabeça" para aproveitar esse momento, que ele considera extraordinário. Lula disse que vai continuar diversificando as relações comerciais e diplomáticas e pretende visitar a Indonésia e o Vietnã com esse objetivo. Ele defende que não se pode ficar atrelado ao eixo Norte ou apenas a um ou dois países. "Quando se depende de uma só economia, quando ela cresce a gente cresce um pouquinho", enfatizou Lula, completando que, quando ela cai, a queda de quem dela depende é grande.Lula também ressaltou sua disposição de falar com o presidente do México, Felipe Calderón, e mostrar a necessidade de ampliação das relações comerciais entre os dois países. Lula acredita que a petrolífera mexicana Pemex e a Petrobras podem conversar sobre a criação de uma outra empresa para a exploração conjunta de novos campos. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o comércio Brasil-México alcançou o volume de US$ 6,2 bilhões no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.