Lula critica empresários por demissões e diz que há 'exagero'

Presidente diz que empresários tem de fazer sua parte no momento de dificuldade, não é só o governo

Monica Bernardes, da Agência Estado,

13 de fevereiro de 2009 | 13h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta sexta-feira, 13, os empresários que iniciaram um processo de demissões coletivas. Para o presidente, "houve um exagero". "A maior parte das empresas brasileiras está capitalizada. Então, como é que um ou dois meses depois dos efeitos maiores da crise financeira se espalharem pela América do Sul, eles começam a demitir, sem sequer tentar medidas intermediárias? Os empresários tem que fazer sua parte no momento de dificuldade também, não é só o governo". E voltou a afirmar que o governo mantém expectativas positivas para o enfrentamento da crise financeira internacional.  Veja também: SP: indústria demite 32,5 mil em janeiro Toyota lança programa de demissão para 25 mil funcionários PIB da zona do euro tem queda recorde GM oferece incentivos para aposentadoria a 22 mil funcionários De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  O nível de emprego na indústria paulista caiu pelo quarto mês consecutivo em janeiro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 13, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O resultado com ajuste sazonal registrou queda de 1,86% em janeiro, ante dezembro. Sem o ajuste sazonal, o emprego recuou 1,34%, na comparação com dezembro, o que resultou no fechamento de 32.500 vagas, que se somaram às 130 mil vagas eliminadas em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.