Lula defende financiamento de muros para casa popular

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje a criação de uma linha de financiamento, sem juros, para a população carente construir "murinhos" em volta das suas casas. Ele fez a proposta em discurso dirigindo-se à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na inauguração de 2.103 casas populares na periferia de Goiânia. As casas não possuem muros ao redor. "É o muro que vai garantir a privacidade e a soberania da família. Sem o muro, um cachorrinho da vizinha vai sujar a casa da outra vizinha, e isso não vai dar certo", disse o presidente.

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 18h44

Uma moradora gritou da plateia, pedindo asfalto. Lula respondeu: "Vai ter asfalto, meio-fio, tudo direitinho, meu amor. Eu não quero que você vá trabalhar com o pé sujo de barro, porque esse negócio de pisar em barro quem gosta não é pobre. Tem de parar com essa mania de achar que pobre gosta de coisa de segunda classe. Nós gostamos de coisas de primeira classe."

Lula, ao subir ao palanque para discursar, estava acompanhado do prefeito de Goiânia, Íris Rezende (PMDB), que pretende concorrer ao governo do Estado de Goiás. Nesse momento, os dois foram muito aplaudidos. O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não discursou.

Tudo o que sabemos sobre:
construção, Lula, muro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.