Lula define rumo de investimentos da Petrobrás em reunião

Presidente analisa plano estratégico da companhia após anúncio de aporte no BNDES que vai ajudar a estatal

Gerusa Marques, Leonardo Goy e Leonencio Nossa, da Agência Estado,

23 de janeiro de 2009 | 11h49

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta manhã com a diretoria e os conselheiros da Petrobrás para analisar o Plano Estratégico da estatal de 2009 a 2013. Lula e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, também presente ao encontro, apresentaram o aporte anunciado na quinta-feira pelo ministério da Fazenda para o BNDES, que deverá beneficiar a Petrobrás.   Veja também: BNDES terá R$ 100 bi para ''PAC privado'' Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    A primeira parte da reunião, que acontece no Palácio do Planalto, foi estendida até o meio-dia, com a presença de Lula. Depois, ela prossegue à tarde com ministros e representantes da Petrobras. Às 19h, está prevista, no Rio de Janeiro, uma entrevista coletiva do presidente da estatal, Sérgio Gabrielli, para divulgar o plano estratégico. A coletiva só vai ocorrer depois do fechamento do mercado financeiro.   Participam da reunião no Palácio do Planalto, além de Lula, Gabrielli e Coutinho, os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda) e Edison Lobão (Minas e Energia), além de seis diretores da Petrobrás e os conselheiros Francisco Roberto Albuquerque, Fábio Barbosa, Jorge Gerdau e Silas Rondeau. Dilma, Luciano Coutinho e Guido Mantega também integram o conselho da empresa.   Aporte   Na quinta, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que o Tesouro Nacional injetará R$ 100 bilhões adicionais no BNDES para garantir os investimentos em petróleo e gás, energia elétrica e infraestrutura.   A expectativa do governo é que o crédito farto, e com custo reduzido, rebata a onda de pessimismo que tomou conta do setor produtivo e cortou empregos e projetos de expansão. Mantega assegurou que não faltará dinheiro para implantar o plano de investimentos da Petrobrás, mas não confirmou nem desmentiu que o BNDES teria reservado R$ 20 bilhões para a estatal.   Para analistas do mercado, a companhia deve elevar seu orçamento, já que o novo plano deve incluir os gastos com a exploração nos campos do pré-sal. Além disso, serão incluídos investimentos em cinco novas refinarias. As duas refinarias Premium, destinadas ao Ceará e ao Maranhão, que envolvem cifras em torno de US$ 20 bilhões, poderiam ficar de fora, na opinião de alguns analistas - já que seriam destinadas à exportação e os principais mercados (americano e europeu) registraram queda no consumo depois do início da crise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.