Lula deixa Argentina sem aceitar redistribuição de gás

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarcou hoje à tarde em Buenos Aires de volta a Brasília, depois de se reunir com os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e da Bolívia, Evo Morales, para discutir a carência de gás. O Brasil reiterou que não tem condições de ceder à Argentina parte do gás comprado da Bolívia. Em troca, ofereceu a Cristina Kirchner a transferência de energia elétrica. "Precisamos ter consciência que energia não é produzida apenas de gás", disse. O presidente defendeu uma política de solidariedade entre os países que "estão crescendo e precisam de energia". Um grupo de trabalho com representantes dos três países foi formado parar estudar as dificuldades de médio e de longo prazo na distribuição de gás. Dentro de dez dias, haverá uma reunião de ministros brasileiros, bolivianos e argentinos. Lula disse que a Bolívia tem condições de atender as demandas de Brasil e Argentina no médio prazo, pois o país está fazendo investimentos em exploração e produção que não eram feitos há muitos anos. A previsão é de que o presidente Lula desembarque em Brasília pouco depois das 17 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.