Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Lula disse a Bush estranhar críticas de Zoellick

Durante o almoço oferecido terça-feira a chefes de delegação e de governo pelo secretário geral da ONU, Kofi Annan, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ao presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que estranhou as críticas feitas ao Brasil pelo representante comercial dos EUA, Roberto Zoellick, sobre a postura do País na reunião da OMC, em Cancún."Disse ao Bush que estava sabendo de um artigo do Zoellick na imprensa internacional criticando o G-22 porque esses países não queriam negociar. Disse a Bush que a verdade foi que nós colocamos na pauta do G-22 70% das coisas que os EUA queriam há dois meses na área de agricultura", afirmou Lula, durante entrevista a jornalistas. "Quem mudou de posição não foi o Brasil, e sim o representante do governo americano. Estanhamente os EUA se alinharam com a União Européia contra o G-22". Segundo o presidente brasileiro, Bush disse era preciso "paciência e continuar negociando".Lula salientou que não há problema entre ele e o presidente Bush. "Temos tido até uma relação maior do que imaginava no começo do ano", disse Lula, destacando que já encontrou Bush quatro vezes até agora. "Temos de ter consciência de que a convivência democrática se dá mesmo quando se tem pensamentos diferentes. A diferença de visão sobre os conflitos do mundo ficou clara no meu discurso e no discurso de Bush. Respeito a posição americana e ele respeita a nossa", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.